domingo, 13 de agosto de 2017

Castrati: a história dos garotos castrados para que possuíssem características únicas na voz

Desde 1500, uma prática nada convencional começou a se popularizar entre líderes de igrejas e regentes de corais. Tratava-se da castração com o intuito de criar um estilo vocal diferenciado em jovens cantores. Com o bloqueio da dihidrotestosterona, que faz as cordas vocais masculinas crescerem em 63% e engrossa a tireoide, os jovens passavam a ter vozes femininas.

Geralmente recrutados aos doze anos, os garotos castrados eram conhecidos como “Castrati” (no singular em italiano, “castrato”), geralmente famílias e regiões pobres depositavam a esperança no talento do garoto. Em 1589, os castrati foram cantar para o Papa na Capela Sistina, mostrando a popularização da prática na época.

Martha Feldman escreveu um livro sobre os cantores Castrati, e, segundo ela, o procedimento realmente fazia a diferença para os rapazes “Havia alto-sopranos, mezzos, e altos, vozes estridentes e doces, vozes altas e maduras, gargantas mais e menos flexíveis, homens muito altos e muito baixos”, conta em um trecho do livro. Eles cantavam em igrejas, tribunais, pontos turísticos, e alguns aposentados davam aulas de música e compunham. Alguns eram cantores de baixa renda que passaram sua vida fazendo shows em cidades pequenas, e outros construíram suas carreiras cantando para ministros em cortes reais. Tudo isso a partir de uma única operação.

A operação



Oficialmente a lei da Igreja proibia a amputação de qualquer órgão, exceto para salvar vidas. Como a prática era ilegal, não há muitos registros detalhados sobre a operação e os cirurgiões permaneceram desconhecidos. Alguns garotos foram enganados pelos pais, que alegavam casos de saúde para a cirurgia. Cirurgiões tentavam usar alguma anestesia, mas elas eram perigosas.

Uma fonte anônima escreveu que os médicos, “davam uma certa quantidade de ópio para o paciente da castração, realizando a operação enquanto eles estavam dopados, mas observou-se que a maioria daqueles que tinham sido operados desta maneira, morriam por complicações das drogas usadas como anestésico”. Na maioria das vezes, os meninos recebiam um banho quente, em seguida, sua artéria carótida era comprimida até que eles praticamente entrassem em coma.

Outra versão do procedimento começaria com um banho frio, ou até mesmo um banho de leite, para entorpecer a área. O procedimento não envolve a amputação. A maioria dos médicos simplesmente abria o escroto e cortava os cordões espermáticos, os canais deferentes e as suas artérias circundantes. Sem o suporte do resto do tecido, os testículos atrofiavam.

Os efeitos da castração

Os efeitos dependiam de algumas condições, como a idade da criança, a competência do cirurgião e as peculiaridades do corpo humano. O filme Farinelli retrata um cantor homônimo muito alto e magro, o que é parcialmente verdade. A maioria dos cantores ganhava protuberâncias em torno do rosto, peito e coxas.

Outras características típicas de um Castrati eram a total falta de barba e a resistência à calvície.

A altura de Farinelli era, para muitas pessoas modernas, um efeito contraditório da castração. Meninos poderiam ter um surto de crescimento durante a puberdade, mas a falta de hormônios faria os castrati serem menores do que os homens médios. O efeito mais comum da castração era estatura incomum: as crianças têm placas epifisárias – “placas de crescimento” – em cada extremidade dos ossos e, durante a puberdade, elas são substituídas por tecido normal, enquanto que as placas de crescimento de um Castrati nunca “fecham”, ou seja, podem continuar crescendo.

A castração também foi associada com maior crescimento do peito, da mandíbula e até do nariz. A voz de um menino bem treinado para cantar era apoiada pelo peito e pelos pulmões, pois a “câmara de ressonância” era maior do que a média, dando aos melhores cantores não apenas uma voz de alta potência, como também sustentação.



Os inconvenientes da castração foram sentidos na fase posterior da vida. Os grandes ossos deixaram muitos Castrati com osteoporose e um corpo maior do que a média, comprimindo seus órgãos.

O castrati Farinelli era o mais famoso. Ele viveu em 1700, mas ainda causava polêmica em 2006, quando um grupo de pesquisa exumou seus restos mortais e os examinou. O que eles encontraram, juntamente com o comprimento dos ossos, foi uma acumulação de osso ao longo da testa, o que indica uma condição chamada hiperostose frontal interna (HFI) – mais comum em mulheres do que em homens, mas ninguém conhece suas causas. De acordo com alguns profissionais médicos, HFI afeta 12% da população e é quase sempre benigna. Apenas em 1% pode causar dores de cabeça terríveis, depressão e outros problemas mentais.

O fim dos Castrati

A prática começou a perder sua popularidade no final dos anos 1700, mas teve uma queda muito lenta. Eles ainda cantavam em igrejas, mas em 1800 já não eram bem vistos em óperas ou em clubes populares. O último cantor castrato da Capela Sistina foi Alessandro Moreschi, que se aposentou em 1913. Em seu auge, ele era conhecido como o “Anjo de Roma”. Algumas gravações dele cantando em 1902 ainda podem ser encontradas em arquivos raros.

Texto: Bruno Rizzato
Publicado no site Jornal Ciência em 19/01/2016. 

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Connla e a donzela encantada



Connla do cabelo de fogo era filho de Conn das Cem lutas. Um dia, quando se encontrava ao lado do pai no alto do Usna, viu uma jovem donzela com um estranho traje vindo em sua direção.

- De onde você vem, ó donzela? disse Connla.

"Eu venho das planícies dos Sempre Vivos", disse ela, "ali onde não há morte nem pecado. Lá sempre é feriado, e não precisamos da ajuda de ninguém para sermos felizes. E em todo nosso prazer não temos brigas. E como temos nossas casas nas redondas colinas verdes, os homens nos chamam de povo da colina."

" Com quem você está falando, meu filho?, disse Conn, o rei.

Então a donzela respondeu, Connla está falando com uma bela e jovem donzela, que não tem morte nem idade avançada à sua espera. Eu amo Connla, e agora o chamo para ir à planície do Prazer, Moy Tell, onde Boadag é rei há muito tempo, e onde não tem havido queixas e nem tristezas desde que ele assumiu o reinado. Oh venha comigo Connla do cabelo de fogo, ruivo como o poente, e com a pele bronzeada. Uma coroa encantada o espera para adornar sua bela face e seu corpo real. Venha, e que a sua beleza nunca se desvaneça, nem sua juventude, até o último dia terrível do Juízo Final.

O rei, com medo do que ouvira e do que a donzela dissera, apesar de não poder vê-la, chamou em voz alta seu druida, de nome Coran.

"Oh Coran dos muitos encantamentos", disse ele "e da astuta magia, estou pedindo sua ajuda. A tarefa é grande demais para minha capacidade e minha astúcia, maior do que qualquer uma imposta a mim desde que assumi o reinado. Uma donzela invisível veio ao nosso encontro, e através de seu poder quis levar de mim meu filho muito querido e amado. Se você não me ajudar, ele será levado pelas artimanhas e feitiços femininos.

Então Coran, o Druida deu um passo à frente e pronunciou algumas palavras encantadas na direção do local em que a voz da donzela fora ouvida. Ninguém mais ouviu a voz da jovem, e Connla também nunca mais a viu. Mas ao desaparecer mediante o poderoso encanto do druida, ela atirou uma maçã para Connla.

Por um mês inteiro, à partir daquele dia, Connla não quis mais comer  nem beber nada, a não ser aquela maçã, Mas sempre que ele a mordia, o pedaço que ficava faltando crescia novamente mantendo-a sempre inteira. E o tempo todo crescia dentro dele um anseio e um grande desejo pela donzela que havia visto.

Mas quando chegou o último mês de espera, Connla ficou ao lado do rei, seu pai, na planície de Arcomin, e novamente ele viu a donzela vir ao seu encontro e lhe falar.

" É um lugar glorioso, esse que Connla possui entre os mortais de vida breve, que aguardam o dia da morte. Mas agora o povo da vida, os que vivem para sempre, lhe pedem e rogam para que venha a Molly Mell, a planície do prazer, pois aprenderam a conhecê-lo, vendo-o em sua casa entre seus entes queridos.

Quando Conn, o rei ouviu a voz da donzela chamou seus homens em voz alta e disse:

"Venha logo, meu druida Coran, pois vejo que hoje ela está de novo com o poder da fala."

Então a donzela disse: " Ó poderoso Conn, guerreiro das cem lutas, o poder do druida não é muito bem-vindo, tem pouca honra nesse país poderoso, com uma população tão honrada. Quando a lei chegar, acabará com os encantamentos mágicos dos druidas, que vê dos lábios do falso demônio negro".

Então Conn, o rei observou que, desde que a donzela chegara, Connla não falara com ninguém. Por isso, Conn das cem lutas disse a ele:

" É sua opinião também o que a mulher está dizendo meu filho?"

"É difícil pra mim, disse Connla; amo meu povo sobre todas as coisas, mesmo assim, um grande anseio pela donzela me domina".

Quando a donzela ouviu isso, respondeu dizendo: "O oceano não é tão forte quanto as ondas do seu anseio. Venha comigo em minha curragh, a brilhante, deslizante canoa de cristal. Logo alcançaremos o reino de Boadag. Vejo o brilhante sol se pondo e mesmo longe como está, podemos chegar lá antes que escureça. Lá estará, também, outro país que vale a jornada, um país acolhedor para todos que o buscam. Só esposas e donzelas o habitam. Se você quiser, podemos procurá-lo e viver lá sozinhos, juntos e felizes."

Quando a donzela parou de falar, Connla do cabelo de fogo fugiu deles e saltou dentro da curragh, a canoa de cristal brilhante e deslizante. E então todos eles, rei e corte, viram-na  deslizar sobre o mar brilhante em direção ao sol poente, afastando-se cada vez mais , até os olhos não conseguirem mais vê-la.

Connla e a donzela encantada abriram caminho  no mar, nunca mais foram vistos, e ninguém nunca soube onde chegaram.

Fonte: Celtic Fairy Tales
Tradução: Inês A. Lohbauer

domingo, 23 de abril de 2017

Manuel Francisco Isaac Albéniz - Compositor e pianista espanhol

Compositor nacionalista espanhol nascido em Camprodón, província de Gerona, um dos mais originais representantes do nacionalismo musical de seu país em fins do século XIX. 

Com apenas quatro anos deu seu primeiro recital de piano em Barcelona, e a partir dos dez realizou numerosas turnês de concertos, tanto na Espanha como pela Europa e América Latina. 

Ao mesmo tempo, continuou aperfeiçoando sua formação musical, fundamentalmente em Barcelona e nos conservatórios de Leipzig e Bruxelas; neste último obteve o primeiro prêmio de piano. 

Depois de seu casamento (1883), entrou em contato com o maestro Felipe Pedrell, pioneiro da música nacionalista espanhola, que despertou nele o interesse pela composição.



Em busca de novos conhecimentos musicais mudou-se (1893) para Paris, onde em contato com um grupo de músicos que estudavam profundas propostas de renovação estética, entre os quais se destacavam Claude Debussy e Gabriel Fauré extraiu sua técnica de composição, mantendo um estreito vínculo com a sensibilidade musical e o folclore de seu país. 

O resultado foi uma extensa e original produção musical composta de mais de 200 peças de diversos gêneros musicais: zarzuelas e dramas líricos, entre os quais se destaca Pepita Jiménez (1896); suítes orquestrais, como Cataluña; obras camerísticas e canções.

Seus melhores trabalhos, no entanto, foram as peças para piano, como Suite española e Rapsodia española, nas quais o espírito da música hispânica tradicional aparece refletido com magistral síntese. Sua principal obra nesse sentido seriam as 12 composições pianísticas da Suite Iberia (1906-1909), que, a par de sua enorme complexidade técnica, representou uma radical inovação dentro da música nacionalista espanhola. 

Morreu relativamente jovem, em plena maturidade criativa, em Cambo-les-Bains, França.


Leyenda by Albeniz in HD - Andres Segovia



Ana Vidovic plays Granada by Isaac Albéniz




Referências Bibliográficas

COSTA, Keilla Renata. "Manuel Francisco Isaac Albéniz"; Brasil Escola. Disponível em . Acesso em 23 de abril de 2017.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Yoio Cuesta

Yoio Cuesta é uma cantora de jazz espanhola, foi participante do The Voice Espanha e seu primeiro álbum é o Back to the 40's.





Ela é uma das cantoras mais conhecidas em Madrid, em parte por causa desse álbum que foi muito bem recebido pela crítica e público.

Espero que gostem.