quinta-feira, 12 de março de 2015

Dia do Bibliotecário - Pioneiros da Biblioteconomia



Gabriel Naudé (1600-1653) nasceu em Paris em 2 de fevereiro de 1600. Apesar de ser conhecido como um grande bibliotecário francês, essa não foi sua profissão inicial: aos 26 anos, mudou-se para Pádua, na Itália, a fim de estudar medicina. 

Ao retornar para Paris, Naudé se tornou bibliotecário de Henri de Mesmes, conhecido como Président de Mesmes, o que marca o início da carreira de bibliotecário e o abandono da profissão de médico, a qual aparentemente ele nunca exerceu.

Posteriormente trabalhou novamente na Itália para o Cardeal de Bagni e depois para o Cardeal Francesco Barberini. De volta à França mais uma vez, trabalhou para o Cardeal Richilieu e, após a morte deste, para o Primeiro Ministro da França, em 1642. 

Durante os dez anos seguintes, Naudé dedicou-se à construção de uma biblioteca para Mazarino, tendo formado um acervo respeitável com mais de 40 mil livros, comprados por ele mesmo por toda a Europa. Ao final desses anos, a Biblioteca Mazarina era provavelmente a maior do continente europeu à sua época. 

De 1926 a 1977 a Biblioteca Mazarina fez parte da Réunion des Bibliothèques Nationales, que foi abolida em 1977.

A Biblioteca Mazarina passou por problemas durante as Frondas, período que compreende a guerra civil na França de 1648 a 1652 e a guerra entre França e Espanha, de 1653 a 1659. Com a queda de Mazarin do poder em 1652 e confisco de seus bens, o acervo da Biblioteca Mazarina foi leiloado naquele mesmo ano. 

Naudé chegou a escrever ao Parlamento contestando a venda da coleção da referida biblioteca, o que infelizmente não surtiu efeito. Isso o levou a trocar Paris por Estocolmo em 21 de julho de 1652, tendo partido a convite da Rainha Cristina da Suécia para ser diretor e organizar sua biblioteca. 

No ano seguinte, contudo, Mazarin recuperou o poder que tinha antes e muitos daqueles que haviam comprado livros da Biblioteca Mazarina devolveram os itens à biblioteca como forma de provar sua lealdade a Mazarin. Naudé não teve boas experiências em Estocolmo e em 1953 resolveu voltar à Paris. Infelizmente, ele morreu durante a viagem de volta à sua cidade natal, em 29 de julho de 1953.

A grande contribuição de Gabriel Naudé para biblioteconomia, pela qual ele é muito lembrado, foi a publicação da obra “Advis pour dresser une bibliothèque”, que é considerada o primeiro tratado em biblioteconomia escrito em língua vernácula e não em latim. 

O livro foi escrito em 1627 e trazia teorias sobre seleção de livros, ensaios sobre classificação e catalogação, além de orientações aplicáveis até os dias de hoje ao armazenamento de documentos, como o cuidado com a luz natural e a necessidade de deixá-los longe da umidade. 

O livro é considerado um marco para a transição das práticas bibliotecárias medievais para as práticas modernas.

Fonte: i10 Biblioteca

Nenhum comentário: