sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Informações do mundo editorial


A Lafonte, editora que faz parte do grupo Escala Educacional, tem como meta para este ano dobrar o faturamento com a venda de livros de interesse geral, afirma Diego Drumond e Lima, principal executivo do grupo. Hoje, segundo ele, essa linha de publicação representa uma porcentagem “muito pequena” da receita da empresa, cujo principal negócio é a venda de livros didáticos.

A Lafonte é mais conhecida pelo uso que faz da marca Larousse, voltada especialmente à publicação de livros de referência, idiomas, culinária e também de guias. Agora, a editora quer, com o próprio nome Lafonte, aumentar a presença nas livrarias e abocanhar um pedaço dos segmentos que vendem mais. “Queremos ter livros nas listas de mais vendidos”, afirma Lima.

Um dos objetivos para 2012 é investir na compra de títulos internacionais que podem se tornar best-sellers no Brasil. “Não há um foco específico em ficção, não ficção ou autoajuda, por exemplo. Mas faremos mais apostas para concorrer nesses segmentos”, diz o executivo.

Segundo Lima, as mudanças na estratégia da Lafonte motivaram a saída de Janice Florido da casa, no fim de janeiro. A direção editorial que era ocupada por ela agora não será preenchida por uma pessoa, e sim por duas, que atuarão com olhares distintos e complementares. “Um profissional estará voltado para o mundo editorial, para novas apostas. O outro terá um olhar para o mercado, para a forma de fazer negócios”, afirma o executivo. A editora está fazendo a seleção dos profissionais.

Na ocasião de sua saída, Janice Florido afirmou ao PublishNews que estava deixando a casa por ela estar mudando seu foco de publicação e voltando-se para produtos de banca. Lima nega a informação. “A Lafonte não vai lançar produtos para banca. É nas livrarias onde queremos crescer.” O grupo publica uma série de títulos de revistas com a marca Escala e, segundo o executivo, essa linha de negócios permanecerá separada da Lafonte.

Para aumentar a venda nas livrarias e cumprir a meta de dobrar o faturamento com livros de interesse geral, a editora planeja investir em modelos diferentes de parceria com o varejo. Segundo Lima, uma das ideias é que o grupo Escala imprima, em sua gráfica própria, os tabloides de propaganda das varejistas, em troca de espaço para divulgar, nesse material, os livros da Lafonte. “Os tabloides, são ferramentas de propaganda muito interessantes para várias redes, de livrarias a supermercados”, diz.

A Escala Educacional funcionou, entre 2007 e 2010, em sociedade com o grupo francês Hachette, gigante editorial que detinha 51% da empresa brasileira. A parceria, feita especialmente para explorar o mercado de livros didáticos, foi desfeita depois que os resultados nesse segmento não saíram como o esperado pela multinacional.
O grupo brasileiro, hoje, está entre os principais fornecedores de livros para o governo. No Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2011, foi o oitavo que mais vendeu obras: 2.830.595 exemplares, pelo valor de R$ 26,39 milhões.

Fonte: Publishnews

Nenhum comentário: