terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Cruzada - No reino do Paraíso



A edição da Geração Editorial está ótima com várias ilustrações antes e depois do romance, e com um importante glossário de história do Oriente.

O romance conta a história de 2 cavaleiros e irmãos ingleses que se apaixonam pela mesma mulher, sua prima Rosamund.

Na Inglaterra eles vivem sem se preocupar com as guerras no Oriente, onde cristãos e árabes disputam a terra sagrada de Jerusalém, mas Saladino, o comandante e chefe supremo sonha com sua sobrinha inglesa, e nesse sonho a dama inglesa o ajuda a salvar milhares de soldados que estavam condenados a morrer.

Saladino então envia homens para sequestrar sua sobrinha em Essex e trazê-la para Damasco, assim começa a aventura desses três personagens que Haggard criou usando como pano de fundo as Cruzadas.



Os irmãos atravessam o oceano e enfrentam grandes perigos em Damasco, Beirute e no deserto para reaver sua amada, contando com a coragem e a ajuda de uma outra mulher tão fascinante quanto Rosamund, a espiã Masouda.

Haggard através de uma pesquisa metódica, insere os personagens fictícios em um mundo de personagens importantes na história mundial, homens como Saladino, Guy de Lusignan, rainha Sybilla e Balian de Ibelin.

Esse livro ajudou Ridley Scott a roteirizar seu filme usando uma parte do romance.

O livro mesmo romanceado nos mostra como os cristãos (não tão cristãos assim) iam participar das Cruzadas não pela glória dos céus, prometida pela Igreja, e sim pelos saques, estupros e conquistas materiais.



Os soldados templários, hospitalares e cruzados tomavam as cidades matando todos, inclusive mulheres e crianças, e do lado dos sarracenos o ódio crescia igualmente, mas mesmo assim havia espaço entre eles para admirar a virtude e coragem de poucos cavaleiros inimigos.

Para ler em uma tarde e à noite, assistir o filme.



Resenha: Marcello Lopes
Fotos: Google

Nenhum comentário: