sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Apuleio


Apuleio levou uma vida privilegiada. Recebeu uma substancial quantia em dinheiro depois da morte do pai, um magistrado de província, que rapidamente desperdiçou.

Matriculou-se na universidade de Cartago e depois em Atenas, e estudou filosofia platônica. Após sua iniciação nos mistérios de Ísis, estudou oratória latina em Roma e começou uma carreira de sucesso nos tribunais.

Foi esse sucesso que lhe permitiu viajar muito pela Ásia Menor e pelo Egito, estudando filosofia e religião.Porém, nessa época, foi acusado de usar magia e feitiçaria para ganhar o afeto e a fortuna da viúva com quem havia se casado. Ao fazer um discurso em sua própria defesa, tratando, em essência, do uso da magia, ele provavelmente garantiu sua absolvição. Voltou a trabalhar no discurso e publicou uma versão que chamou de Apologia.


Apuleio é renomado principalmente pelo romance episódico e picaresco conhecido como Metamorfoses ou popularmente como O asno de ouro - único romance latino a sobreviver na íntegra. Conta as turbulentas e às vezes libertinas aventuras de Lucius, um grego que fez experiências com magia e tem o azar de ser transformado em asno.

Na pele desse animal, ele vive muitas aventuras, cai nas mãos de ladrões, compartilha suas fantásticas proezas e finalmente volta à forma humana graças à intervenção da deusa Ísis.

Acontecem múltiplas digressões: a mais longa é a famosa fábula do noivo encantado, Cupido e Psiquê, que na Antiguidade tardia e na Idade Média às vezes foi interpretada como uma alegoria da alma (psique) em relação ao amor (cupido).

O asno de ouro foi usado mais tarde por Shakespeare como uma das fontes para a sua famosa comédia Sonho de uma noite de verão.

Nenhum comentário: