sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Ligeiramente fora de foco


Robert Capa foi pra mim um dos maiores fotógrafos que existiu, dono de uma sensibilidade única e de uma coragem para registrar os mais importantes eventos da guerra.

Nesse livro, o fotógrafo conta como foi contratado para ser correspondente de guerra, recheado de histórias bem humoradas, Capa nos lança na realidade civil da 2° Guerra.


É nesse momento que existe uma descoberta, a do escritor antes do fotógrafo, Capa sempre quis ser escritor, repórter e romancista, mas foi levado a escolher a fotografia. 

Ainda bem para nós, pobres mortais, que ganhamos as mais fabulosas imagens de conflitos armados pelo mundo afora, como a Guerra Civil Espanhola, a 2° Guerra Mundial e a invasão da Indochina.

O livro além de conter fotografias sensacionais de momentos marcantes na história mundial, é recheado com histórias de um homem comum lançado em um combate cruel e intenso, também fala de suas amizades, dos amigos escritores John Steinbeck e Ernest Hemingway, da odisséia que empregou para conseguir um visto de entrada para a Inglaterra. 



Chama a atenção a simpatia que Capa provoca nos soldados e civis, casos engraçadíssimos como a bebedeira dele com um funcionário da embaixada britânica, entre outras...

Ligeiramente fora de foco não é um livro sobre um fotógrafo cobrindo um conflito armado, é sobre um homem com princípios e gostos refinados cobrindo uma realidade impossível de ser evitada.


Capa não fotografava cenas de violência gratuita, mas sim cenas de forte impacto como mães chorando os filhos mortos, soldados deitados em abrigos ou cochilando antes de uma invasão.

Capa preferia acompanhar o exército na invasão de uma cidade do que chegar ao local após a vitória.


Outra história contada no livro é do romance entre Capa e uma inglesa chamada Elaine, dona de cabelos vermelhos, que recebeu o apelido carinhoso de Pink, às vésperas de seu embarque para a África.

Capa além de grande fotógrafo, era um conquistador, além de Elaine, outras sucumbiram aos seus encantos inclusive a estrela de cinema Ingrid Bergman.

Capa morreu em 1954 ao pisar em uma mina terrestre.



Texto: Marcello Lopes
Fotos: Google

Um comentário:

Renata disse...

Adorei as fotos!!
Mostram um outro lado da guerra.
abraços