sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A estrada para Compiègne





Esse é o segundo volume da trilogia Revolução Francesa, da autora inglesa Jean Plaidy, nesse volume o personagem principal continua sendo Luís XV.

Nesse volume são mostradas as guerras, inúmeras revoltas e conflitos religiosos, a fome do povo e alianças com outros países são narradas com uma fidelidade exarcebada.

Luís XV continua alienado para os problemas do povo e prefere se refugiar no mundo das cortesãs, abalado com a morte de Madame de Pompadour, ele se liga à Madame du Barry, filha de uma relação entre um frade e uma cozinheira, Jeanne Bécu recebeu uma educação em um convento, depois de alguns anos longe do convento, sua beleza chama a atenção de um nobre, o Conde Du Barry, transformando-se em sua amante e prostituta de luxo.

O rei então se entrega à nova cortesã, gastando imensas fortunas para agradá-la.

Marcello Lopes

2 comentários:

Hérida Ruyz disse...

Oi Marcello!

Tenho o priemeiro e o segundo livro da série, mas ainda não li por medo de ser um livro cansativo. A história flui bem ou é muito parada?
Bjs

Marcello disse...

Oi Hérida, a história até que não é chata, mas existe momentos onde a autora deixa a fluidez bem longe.
Mas acho que vale a pena pelo fundo histórico.
Beijos.