quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

A Batalha de Mogadíscio


Somália, 1993. Uma missão para capturar um senhor da guerra somali transforma-se em um desastroso tiroteio urbano, choca o mundo e abala uma grande nação. Em A Batalha de Mogadíscio - incidente que foi a base do filme  'Black Hawk Down' -, esse confronto é lembrado pelos homens que dele participaram e sobreviveram. Seis dos melhores militares americanos recontam suas experiências e suas corajosas contribuições nestes relatos inéditos em livro.

Em outubro de 1993, os Estados Unidos mandaram um grande contingente de soldados para a Somália, em guerra civil na época. O plano era simples - enviar tropas para a região a fim de desestabilizar o governo local, e levar comida e ajuda humanitária para a população faminta. Contudo, uma das operações, que deveria durar cerca de uma hora, passa por complicações quando dois helicópteros Black Hawk são abatidos por atiradores do exército local. 


A partir de então tem início um grande conflito entre os soldados americanos e o exército somali, que resulta em uma batalha de 15 horas e centenas de mortes. A Batalha de Mogadíscio contribui para o debate e reflexão sobre essa decisiva missão militar, e para que o leitor tenha conhecimento dos fatos verdadeiros por intermédio dos homens que estiveram lá e que conseguiram voltar.

O livro é para quem gosta de relatos sobre guerra, e ler o livro e depois assistir o filme é uma experiência incrível.


A História 

Ao tomar posse como o presidente dos EUA, Bill Clinton tinha a intenção de reduzir as tropas na Somália, e em Março a ONU passou a liderar a missão humanitária com o objetivo de desarmar os rebeldes e reconstruir o país.

Em Junho, as tropas americanas somavam apenas 1.200 homens, mas esse efetivo era formado por tropas de elite dos grupos Delta, Rangers e Seals, na primeira semana de Junho 24 soldados paquistaneses caíram em uma emboscada e foram mortos pelos seguidores de Aidid, assim o exército americano montou uma operação de caça ao senhor da guerra oferecendo uma recompensa a quem desse qualquer informação que levasse à captura de Aidid.

Em Outubro uma denúncia levou os soldados ao Hotel Olympic para capturar Aidid e seus generais milicianos, mas os soldados somalis conseguiram derrubar dois helicópteros Black Hawk, as forças especiais tentaram um resgate dos soldados e enfrentaram uma cidade inteira.

A operação deveria ter durado 30 minutos, acabou se transformando em uma batalha com 18 horas de duração onde 18 soldados americanos morreram, 73 ficaram feridos, e do lado somali, mais de 1200 mortos e 3500 feridos.

O episódio ficou marcado pelo ódio com que os somalis trataram os corpos dos soldados mortos na queda dos helicópteros, 5 soldados foram despidos e arrastados pela população.

Soldados americanos mortos na queda do helicóptero são despidos e arrastados pela população somali
Texto: Marcello Lopes
Fotos: Google

Um comentário:

Mariane Silveira disse...

Post bem esclarecedor sobre a batalha.