domingo, 12 de setembro de 2010

Eu fui Vermeer


A maior satisfação para mim ao ler esse livro é saber que o falsário Han Van Meegeren enganou os nazistas com suas falsificações de quadros de Vermeer e ganhou muito dinheiro ainda por cima.

Ele é considerado um dos maiores falsários de todos os tempos, dominando as técnicas e o estilo de Vermeer.


Vivendo em plena 2° Guerra Mundial, Meegeren ganhou mais de 50 milhões de dólares vendendo suas falsificações para os museus de toda a Europa, sua técnica era tão boa que se ele não tivesse confessado seus crimes, as obras figurariam nos catálogos das obras do pintor.

Meegeren pintando um quadro durante seu julgamento

E só confessou porque foi preso na época acusado de ser um colaborador dos nazistas por causa do seu enriquecimento sem explicações, ele só conseguiu provar que o dinheiro vinha das falsificações e depois que foi obrigado a pintar um quadro diante do júri.

Eu fui Vermeer é uma biografia de um anti-herói, mas bem que poderia ser um blockbuster dos cinemas devido ao ambiente e o trabalho de primeira do falsário e de seus perseguidores.

Marcello Lopes
Fotos: Google

Um comentário:

Edison Junior disse...

É muito interessante a história de Meegeren. Não só enganou aos nazistas, mas também a todos os críticos de arte da época. Desenvolveu técnicas refinadíssimas de "envelhecimento" dos materiais que utilizava e pintava muito bem.
Faz pensar por que, tendo tanto talento, não desenvolveu-se como um artista com sua marca própria.