quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Lost Girl


De todas as séries que eu assisto e baixo, uma das que mais me chamou a atenção foi LOST GIRL, mas não foi só pela beleza da personagem principal, Anna Silk, mas também pela temática mítica que os produtores resolveram abordar, as fadas.

Anna Silk

Mas antes que você pense em Sininho do Peter Pan ou algo mais ingênuo, é bom que se lembre que desde os tempos imemoriais houveram relatos de seres bons ou ruins dentro de florestas ou matas, espíritos protetores das árvores, dos animais e que assustavam ou protegiam seres humanos que entravam em seus domínios.

A palavra fada ou fairy em inglês, deriva de fay (fee em francês antigo), que por sua vez vem da raiz latina fata ou deusa do destino, esses seres viviam em grupos chamados faerie, entre a Terra e o Céu.

Foram divididos em seis tipos : ígneos (fogo), áereos, terrestres, aquáticos, subterrâneos e toda a classe de fadas e ninfas. Conhecidos por muitos nomes diferentes como gênios, faunos, sátiros, pucks, leprechauns, trolls, etc.

O mito da fada ou desses seres são característicos dos contos celtas, anglo-saxões, germânicos e nórdicos.

Explicado pelo menos sua origem (em outro post eu falo mais sobre esses seres) a série de tv divide os fays em duas ordens, a da luz e a da escuridão, tendo um local como ponto de equilíbrio ou neutro.

A personagem de Anna é uma fay do tipo Súcubo ( em latim succubus) chamada Bo, um ser em forma feminina que usa a relação sexual ou pelo menos a intenção para se alimentar da energia vital dos seres humanos.

O único problema é que Bo não sabe como controlar esse seu poder por ter sido criado por humanos e desde cedo foi ensinada que o sexo de qualquer tipo era sujo ou proibido.

Bo salva uma ladra chamada Kenzi de um possível estupro e acidentalmente mata o criminoso, sem ter como deixar Kenzi sozinha acaba levando-a para sua casa, onde pouco tempo depois as duas passam a ser amigas.



Logo são descobertas por uma dupla de detetives fays que trabalham disfarçados de humanos e são levadas ao conselho para que Bo possa se decidir qual lado ela escolherá, luz ou escuridão.

A série foca no personagem principal e na sua busca por respostas, quem são seus verdadeiros pais, como ela controla sua fome, e como ela lida com uma vida dupla.

Kenzi faz uma personagem que é ladra e inteligente, dando um tom humorístico à série.

A cada episódio vão sendo mostrados outros seres, alguns bons outros nem tanto, muitos fazem parte da mitologia das fadas.

Acredito que se os produtores não transformarem a série em um sex and city mágico, a série pode render bons episódios.




Texto: Marcello Lopes
Pesquisa Sobre Fadas : Guia Completo de Lendas Celtas
Fotos: Google

4 comentários:

Débora Lauton disse...

Nunca ouvi falar nessa série... ela passa onde??
Fiquei curiosa...

beijos,
Dé...

Nanda disse...

Ei Marcello,

Ótimo texto, adoro este tema de leitura e não conhecia esta série O.O

Mais uma para a lista aff, depois vc tem que me passar algumas dicas para baixar estou super atrasadas nas séries. Acredita que não vi ainda a última temp. de Lost? rsrs

Adorei o "sex and the city mágico" hauhauhau

beijoo

Lu disse...

oi Marcello.

Amo séries nesse estilo.
essa infelizmente eu não conhecia, mas gostei e vou procurar para assistir. ^^
beijos

Marcos disse...

Olá!!!
Ótimo texto sobre Lost girl.
É interessante como muitas pessoas não conhecem esta série, percebo que é tratada como a prima pobre.
Gosto muito, identifico muito com Buffy nos áureos tempos.
Muito boa, recomendo.