quinta-feira, 9 de setembro de 2010

FEB na Guerra



Um dos grandes desafios da FEB na Segunda Guerra foi adaptar-se ao modo norte-americano de guerrear. Até então, o Exército brasileiro seguia procedimentos da escola francesa.

Porém, operando com equipamento norte-americano e integrado ao V Exército dos EUA, que ocupava o front da Itália, não restava alternativa aos brasileiros. A 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária (DIE) reproduzia fielmente o modelo de divisão norte-americano.

A 1ª DIE contava com 14 254 homens (734 oficiais e 13 520 pracinhas). Ela operava com 66 obuses e 144 morteiros, 500 metralhadoras, 11 831 fuzis, 1 156 pistolas cal. 45, 2 287 armas anticarro (13 canhões, 585 bazucas e 1 632 lança-granadas).

Além disso, tinha 1 410 viaturas motorizadas, dentre as quais 13 carros de reconhecimento M8 e cinco M3 de transporte meia-lagarta. Com esse poder de fogo, a divisão podia atacar numa frente de até 6 quilômetros.



M-8 Greyhound

O que era - Este veículo de fabricação norte-americana foi originalmente concebido como um antitanque. Mas, quando foi aprovado, em 1942, já estava claro que o calibre de seu canhão não penetrava mais na blindagem dos novos carros germânicos.

Assim, ele foi repensado para atuar como veículo de reconhecimento, graças a seu sistema de tração 6x6, bom para o off-road, e sua alta velocidade.

Por que foi importante - A primeira vez que o M-8 entrou em ação foi na Itália, em 1943. Na FEB, o Greyhound foi empregado no 1º Esquadrão de Reconhecimento Mecanizado.

Após a guerra, permaneceu em serviço até o início dos anos 70.

  • Peso: 7,8 t
  • Altura: 2,64 m
  • Largura: 2,54 m
  • Comprimento: 5 m
  • Tripulação: 4
  • Arma principal: canhão 37 mm M6
  • Armas secundárias: 2 metralhadoras .30", 1 metralhadora .50"
  • Blindagem: 19 mm (máximo)
  • Velocidade máxima: 90 km/h (estrada) / 48 km/h (campo)
  • Motor: Hercules JXD, 6 cilindros a gasolina, de 110 HP


Morteiro M2 de 60 mm

O que era - Era uma arma leve, rápida de se posicionar e operar. Foi largamente empregada como fogo indireto em ações em nível de pelotão e companhia nos acidentados aclives italianos.

Por que foi importante - Este pequeno morteiro foi utilizado na Itália tanto na tomada de Monte Castelo quanto em ações de guerra urbana, como a captura de Montese.


Ficha técnica
  • Peso: 19 kg
  • Comprimento: 0,72 m
  • Velocidade do projétil: 163 m/s
  • Alcance efetivo: 1 815 m
  • Regime de fogo: 18 projéteis por minuto

P-47 Thunderbolt

O que era - Originalmente caça de escolta, o P-47 estreou em 1942 e foi ampliando suas características de combate até tornar-se um caça-bombardeiro. A versão P-47D foi utilizada pelas esquadrilhas brasileiras do 1º Grupo de Caça (88 aviões foram entregues à FAB).

Sempre em busca de alvos de oportunidade, o P-47 era equipado com bombas de demolição ou incendiárias ou, ainda, de fragmentação.

Ficha técnica
  • Peso (vazio): 4,5 t
  • Peso (armado): até 7,9 t
  • Altura: 4,45 m
  • Envergadura: 12,4m
  • Comprimento: 11 m
  • Tripulação: 1
  • Motor: Pratt & Whitney R-2800, com 2 535 HP
  • Velocidade máxima: 685 km/h
  • Autonomia de combate: 1.290 km
MG42, a “Lurdinha”

O que era - Esta metralhadora alemã altamente confiável e com elevado índice de disparo (algumas versões chegavam a 1 800 projéteis por minuto) foi o terror dos pracinhas durante a campanha na Itália.

O ruído sinistro que vinha da arma, a “gargalhada” da Lurdinha, devia-se ao fato de que o ouvido humano não conseguia distinguir, dada a velocidade da taxa de fogo, o som de cada disparo.

Os soldados americanos, que também temiam particularmente esta arma, chamavam o barulho de “Hitler’s buzz saw” (espécie de serra circular elétrica), ou ainda “Hitler’s zipper”.

Ficha técnica
  • Peso: 11,57 kg
  • Comprimento: 1,22 mm
  • Cartucho: 7,92 x 57 mm Mauser
  • Calibre: 8 mm
  • Cadência de tiro: 1 100-1 200 disparos por minuto
  • Velocidade do projétil: 755 m/s
  • Alcance efetivo: 1 km
  • Alimentação: cintos de 50 ou 250 cartuchos

Um comentário:

Nanda disse...

Ei sumidooo

Marcello=Cultura ^^

Gostei das informações, eu gosto muito de história mas a tempos não leio sobre o assunto :)

P.S: Sobre seu coment em Coração Ferido que legal o lançamento, pena que perdi tudo isso rsrs, em outubro lança o 3 da série por aqui :)

beijooo