quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Bienal do Livro no Paraná

1.ª Bienal do Livro Paraná que começa amanhã e segue até o dia 10 de outubro, acontece em um contexto no qual eventos similares multiplicam-se em todo o Brasil. De Manaus a Porto Alegre, feiras de livros se tornaram fonte de renda para os escritores brasileiros. Afinal, se a venda das obras, de modo geral, não garante o leitinho das crianças, a solução financeira, para quem escreve e publica, é participar de bate-papos remunerados.

Curitiba, uma das poucas metrópoles brasileiras onde feira do livro não vingava, dá sinais de mudança. Há poucos dias, a capital paranaense sediou a Semana Literária, no Paço da Liberdade Sesc Paraná.
Nomes relevantes do cenário da prosa dialogaram entre si e com o público. André e Sérgio Sant’Anna, Joca Terron, Nelson de Oliveira, Michel Laub e João Paulo Cuenca foram atrações que atraíram dezenas de interessados para o Salão de Atos, no terceiro piso do prédio histórico.
Agora, nesta Bienal, uma constelação de prosadores estará no palco do Café Literário para mais debates. O mesmo Cuenca, que falou para sete dezenas de curitibanos no Paço, retorna a Curitiba. 
Além dele, destaque para as participações de Eduardo Gianetti, Xico Sá, Marçal Aquino, Laerte, Ana Miranda, Sérgio Rodrigues e Marcelo Madureira. No dia 7, às 20h30, os jornalista Sandro Dalpícolo e Jorge Naroz niak, mediados por Heri velto Oliveira, falam sobre os 50 anos da RPCTV.
A principal diferença desta Bienal, em relação, por exemplo, à Bienal do Livro de Curitiba, realizada no ano passado dentro do campus da Universidade Positivo, no Campo Comprido, é a localização. Desta vez, toda a programação, incluindo as atrações para os públicos infantil e infantojuvenil, terá como cenário as dependências do Estação Convention Center, dentro do Shopping Es tação, no centro de Curitiba.
“Esse é o nosso diferencial. Temos experiência em feiras do livro realizadas no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. O nosso know-how é o que pode fazer desta bienal um sucesso”, afirma Tatiana Zaccaro, que atua na Fagga, empresa que está à frente da Bienal do Livro Paraná.
O eterno retorno
Ao conferir a relação de autores que estarão em cartaz na Bie nal, chama a atenção os nomes de Moacyr Scliar, Carlos Heitor Cony, André Vianco, Rubem Al ves, Arnaldo Bloch e Ruy Cas tro, que estiveram na feira do li vro de Curitiba em 2009 e participam de debates em todo o país, o que provoca, no público, uma certa sensação de “mais do mesmo”.
O curador do Café Literário, o jornalista Rogério Pereira, argumenta que a ideia foi oferecer uma programação variada, para atender a todos os públicos. “É importante ter nomes conhecidos. Não temos como fugir de alguns escritores que estão em evidência”, diz Pereira.
Expositores
No site da Bienal, há uma lista de expositores, mencionando dezenas de empresas editoriais, o que, em um primeiro momento, dá a entender que o evento foi muito prestigiado do ponto de vista comercial.
No entanto, 16 editoras, entre as quais Rocco, Record, Intrínseca, Sextante, Planeta, Ediouro, Leya, e Ática, não terão estandes próprios, mas encaminharam os seus livros para o espaço da Livrarias Curitiba que, com 270 metros quadrados, será um dos maiores da feira.
Serviço:
Bienal do Livro Paraná. Estação Convention Center (Av. Sete de Setembro, 2.775). De 1.º a 10 de outubro. 2ª a 6ª, das 9 às 22 horas. Sáb e dom, das 10 às 22 horas. R$ 8 e R$ 4 (meia).
Fonte: Caderno G

Nenhum comentário: