terça-feira, 6 de julho de 2010

Água para elefantes


Sempre tive fascinação pelo circo, não pelos palhaços e acrobatas, mas pela vida nômade que eles levam, apenas alguns dias em cada cidade, vivendo do seu próprio esforço e como uma micro-cosmos com suas hierarquias e disciplinas.

O Livro de Sara Gruen me fez viajar na imaginação ao retratar a história de Jacob, um jovem que tem sua vida alterada depois de um terrível acontecimento, ele era apenas mais um universitário em uma universidade de renome dos EUA, mas após receber a notícia da morte dos seus pais perde o chão e em desespero pula em um trem em movimento, essa atitude vai modificar toda a sua vida e de outras pessoas.

O ano é 1931, os Estados Unidos passam por uma das maiores recessões que abalou o mundo inteiro após a quebra da bolsa em 1929, o álcool é proibido e milhares de pessoas estão desempregadas.

Jacob se une ao circo Irmãos Benzini, e admitido como veterinário do circo logo percebe que a realidade do circo é tão problemática quanto à situação de seu país, e se vê em meio à diversos conflitos pessoais como o dos trabalhadores e artistas, ou da tirania do dono do circo, chamado de Tio Al.

Mas logo Jacob recebe a ajuda de Camel, um velho bêbado que trabalha na bilheteria e o apresenta às diversas e complicadas regras de conduta de um circo,artistas não se misturam com trabalhadores, chefes de seção comem em outro lado da cozinha, e após um tour pelas leis rigorosas Jacob conhece August, chefe do setor de animais e sua esposa, Marlena, a estrela do número dos cavalos.

Nesse instante é iniciado um elo de amor e ódio que movimenta e alimenta esse trio até o último capítulo, é sob as tendas do circo que Jacob conhece o amor, o sexo, e Rosie.

Rosie é a elefanta que o circo comprou e que é encarada como a solução dos problemas financeiros do circo, mas os problemas estão longe de desaparecer.

O livro é muito gostoso de se ler, a narrativa é mostrada em dois tempos diferentes, o primeiro é de Jacob no asilo, e no outro momento a narrativa volta ao circo como se Jacob estivesse contando sua história para alguém.

O final é agradável e me deixou imaginando o que aconteceria depois.

Recomendo.

Resenha: Marcello Lopes
Foto: Google

4 comentários:

Kézia Lôbo disse...

Esse livro tem me chamado bastante atenção, quero muito lê-lo. Não sou fã de circos (e muito menos palhaços), mas tenho essa mesma curiosidade de saber como eles vivem. Tua resenha está ótima!!!
XD

Daniel disse...

muito interessante a história do livro. Vou anotar esse nome.

Excelente resenha.

Abraço

Lia disse...

Oi, Marcello
Li esse livro faz pouco tempo e gostei muito. Vc viu que já está sendo filmado? Bjs

Angélica disse...

Quase comprei esse livro no Submarino mas, como não sabia se era bom, acabei desistindo. Agora vou ter que ir atrás dele novamente! :)