quinta-feira, 1 de julho de 2010

Luneta Âmbar



Último volume da saga das Fronteiras do Universo.

A Luneta Âmbar tem um começo meio amarrado, até um pouco chato mas depois de alguns capítulos a narrativa começa a fluir e as aventuras despertam a atenção.

Imaginem-se em uma aventura entre diversos universos cercados de anjos, espectros, hárpias e guerreiros minúsculos voando em libélulas que batalham ao lado de ursos de armaduras, guerreiros africanos e soldados com dimons lobos !!!

Lyra e Will agora dependem de outros personagens para concluir sua aventura, já não são independentes como nos 2 volumes anteriores, principalmente porque a trama se desenrola mostrando os conflitos entre novos personagens como Tialys e Salmakia, pequenos guerreiros galivespianos, ou como Balthamos, o anjo que ajuda Will a seguir em frente e que se revela tão humano, apaixonado e falível quanto qualquer um de nós.

O autor foge um pouco de centralizar a trama nos dois principais personagens, diluindo a narrativa em várias vozes, nada mais justo já que existem diversos universos e todos estão envolvidos de uma maneira ou de outra na batalha contra a Grande Autoridade.

O uso de personagens secundários aumentou consideravelmente, como a menina que salva Lyra com o seu pó, os mulefas e tualapi que são seres tão incríveis que é complicado até de imaginá-los.

Pullman utiliza também personagens para mais uma vez criticar a Igreja e seus dogmas, sua hierarquia, como o personagem do padre Gomez e dos bispos do conselho Consistorial de Disciplina, bem como a Dra.Malone ao falar de sua vida como freira.

O uso da tortura pelos padres para descobrir segredos, e a ameaça de uma nova Inquisição.

Os momentos mais marcantes para mim foram o reencontro de Will com o seu pai, a viagem ao mundo dos mortos e a transformação das hárpias, que aos poucos se tornam capítulos de grande leveza no livro.

Existem sim algumas falhas, personagens que nem precisavam terem sido criados, alguns capítulos poderiam ter sido suprimidos, mas no geral o livro se salva sem grandes prejuízos para o leitor.

Só acredito que como o tema da história é a batalha final entre o bem e o mal, e muitos personagens morrem e alguns se sacrificam para salvar outros, queria que o final fosse mais bombástico !!!!

Resenha: Marcello Lopes
Foto: Google

2 comentários:

Brasil Desnudo disse...

Excelente sua iniciativa e, muito bom seu blog!
Fazer uma resenha tão expressiva, alimenta mais ainda o prazer do conhecimento e de ir em busca da leitura..
Meus parabéns

MARCIO RJ

Nanda disse...

Marcello,

O final pede uma continuação não é? Eu achei.

Adoro os pequenininhos insetos mortíferos de nome difícil rsrs

bjo

P.S: Sugestãozinha pode? Tire estas confirmações chatas de palavras, serve pra nada hauhauhau