sexta-feira, 11 de junho de 2010

O Médico e o monstro




Todos nós temos nosso lado negro, em muitos adormecido ou domesticado, em muitos à flor da pele.

O Médico e o Monstro narra a história de um médico que tenta à todo custo reter seu lado monstruoso que se revela como Mr.Hyde com uma fórmula química que ele desenvolve em seu laboratório.

São dois lados de uma mesma moeda, de um lado o médico é um homem honrado e de boa posição social, do outro, um assassino e perverso homem que dá vazão às suas tendências primitivas aterrorizando Londres.

O livro foi escrito na mesma época que muitos estudos sobre o inconsciente estavam sendo publicados com isso foi visto pelos críticos como um estudo sobre conceitos e temas psicanalíticos, e Stevenson consegue captar as diferenças da sociedade londrina pelos diferentes olhares, a cidade culta e respeitada pelos olhos do médico e o lado pobre e violento por parte do seu alter-ego.

O livro inspirou diversos filmes, musicais e até outros escritores, como Stephen King, que acredito tenha se utilizado muito dessa dualidade para escrever um livro chamado Metade Negra.

Texto: Marcello Lopes
Foto: Google

6 comentários:

Lou James disse...

Salve Marcello!
Como sempre, ótimas dicas de leitura.
Esse livro é um dos pilares de: "A hora da metamorfose".
Sempre o tenho em mãos...

"Deixo o semelhante degradar-se por si mesmo!"

Qto ao novo layout, é sempre bom metamorfosear-se.
Continue apresentando esse "grau de pureza" necessário.
Nós agradecemos.
Abç man!

Celsina disse...

Hum... parece bem interessante :p Adoro esse tema!

Beijos!
Cel ^.^

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Marcello,
Bom ter um cantinho onde se respira literatura, a mais pura forma de arte, a que vem direto da alma como nenhuma outra...

Abraço nem de médico nem de monstro (creio),
Pedro Ramúcio.

Sérgio Filho disse...

Sem dúvida um clássico da literatura universal, a maneira como Stevenson expõe o lado negro do homem é espetacular, do mesmo gênero de O Médico e o Monstro podemos citar ainda frankenstein, de mary shelley, outra obra-prima. Em ambos os livros podemos perceber a presença do mito judeu do Golem.

Liliana disse...

hahaha sempre acreditei nisso... de médico e louco....

Kézia Lôbo disse...

Bahhh confesso não conhecia (quevergonha) OO, mas parece se ben interessante, Já vou anotar!