sexta-feira, 4 de junho de 2010

Pátria Amada



Os aliados perderam o confronto mais sangrento da história mundial, foram rechaçados pelo eixo formado por Alemanha-Itália-Japão, e passados 20 anos da vitória de Hitler, uma nova Europa cresce e estamos nos anos 60, a Alemanha se prepara pra comemorar o aniversário de Hitler e da vitória sobre os aliados.

Em meio à possível guerra com os russos, os alemães costuram um acordo com seus velhos inimigos, os EUA, que vivem a guerra-fria em seus momentos mais delicados.

Com isso, é enviada à Alemanha a repórter Charlie Maguire que cobre a celebração do aniversário do Fuhrer e as possíveis negociações com os militares americanos.

Na Alemanha repleta de bandeiras com suásticas e fotos de Hitler e seus generais, Charlie conhece um oficial da SS, chamado Xavier March que está em meio à uma investigação muito perigosa, e que pode acabar com os planos de aliança com os americanos, a morte dos judeus.

No país ninguém sabe ou especula e as autoridades dizem que foram deportados para outros países da Europa, mas o oficial começa a encontrar lacunas em várias dessas declarações.

E junto com a repórter começam uma corrida para descobrir a verdade antes que o acordo militar seja assinado.

Essa é a trama do livro de Robert Harris, chamado Pátria Amada ou Fatherland em inglês e esse estilo de literatura se chama hoje de “história contrafactual” ou “virtual”.

Robert Harris escreveu depois Enigma (resenha em breve), O Fantasma(resenha em breve) e outros livros de sucesso.

Infelizmente o livro se encontra esgotado nas Livrarias, sendo encontrado apenas nos sebos.

O livro ganhou uma versão cinematográfica chamada A Nação do Medo, de 1994 com Rutger Hauer e Miranda Richardson.


Resenha: Marcello Lopes
Fotos: Google

Nenhum comentário: