quinta-feira, 3 de junho de 2010

Livros Digitais


- Numa clara reação ao crescente interesse pelos e-books, no Brasil e no exterior, a Editora Objetiva, o Grupo Editorial Record e a Editora Sextante anunciaram ontem a associação em uma nova empresa, batizada de Distribuidora de Livros Digitais (DLD).

O projeto, que já contava com a participação das editoras Intrínseca e Rocco, é, segundo nota enviada à imprensa, “uma plataforma de hospedagem e distribuição de livros no formato digital”, com “direitos exclusivos de distribuição dos livros publicados pelas editoras integrantes do projeto.”

Entre os objetivos da DLD está o de garantir, segundo a nota, “uma proteção eficaz contra a cópia ilegal e o acesso das editoras em tempo real aos dados necessários para faturamento, liquidação de direitos autorais e geração de estatísticas comerciais”.

A DLD, ainda de acordo com o comunicado, não venderá diretamente os e-books ao consumidor final, atuando apenas como distribuidora para livrarias on-line e empresas de conteúdo digital. Além disso, oferecerá seus serviços a qualquer editora interessada.



- Um jardim japonês, um rali de automóveis, um jogo de futebol e programas de acesso a notícias. Esses são os temas dos primeiros aplicativos para o iPad desenvolvidos por brasileiros. Os produtos foram encomendados aos programadores por empresas que já tinham dispositivos para o iPhone.

A Ci&T, que no ano passado investiu R$ 2 milhões em uma unidade de aplicativos para plataformas móveis, foi a primeira a lançar um produto para o tablet. Há 15 dias, a empresa incluiu na loja americana da Apple um aplicativo que consiste em um jardim japonês para relaxamento. "No primeiro dia tivemos mil downloads, mesmo sem fazer propaganda", diz o gerente de negócios móveis da Ci&T, Paulo Camara.

A Gol Mobile, focada na produção de ferramentas para dispositivos móveis, finaliza um aplicativo para fornecer a versão para iPad do jornal O Globo. "Outro projeto que devemos colocar no ar em junho é um aplicativo para baixar livros no iPad", afirma o diretor de produtos e novos negócios da Gol Mobile, Alexandre Buono.

A empresa foi responsável pela criação de quatro aplicativos de iPhone para "O Globo" e outras 12 para editora Globo, "O Estado de S.Paulo", editora Record e revista "Época". Juntos, os aplicativos alcançaram 140 mil downloads em seis meses.

Fonte: Publishnews

Um comentário:

Luka disse...

Será que esse projeto vai em frente mesmo ?
Será que os brasileiros compram livros digitais ?
Eu fico me perguntando isso o tempo todo.
Bjs
Luka.