terça-feira, 29 de junho de 2010

Desafio Literário - parte 8

Seguindo com o desafio literário, hoje escrevo sobre o livro que eu menos recomendo.

É sempre complicado isso de não recomendar algum título porque o que é bom para mim não é bom para alguns amigos meus ou seguidores desse blog.

Por isso eu não vou dizer sobre nenhum título específico, e sim falar sobre um gênero que para muitos é uma enganação, os livros de auto-ajuda.

Acredito que o livro é momento, às vezes um bom título se torna insuportável por causa do momento que estamos passando, às vezes não conseguimos ler algo que todos dizem que será benéfico para nós.

É o caso de muitos livros de auto-ajuda, eu trabalhei na Editora Gente e sempre pensei que nunca iria ler um livro desse gênero, mas passei por momentos onde minhas dúvidas e receios não encontravam soluções nos amigos então inconscientemente encontrei respostas para alguns problemas nos livros de auto-ajuda.

E acredito que as respostas para nossos problemas estão em nós mesmos, em nossa atitude, em nossa opinião e nossos valores, a função dos livros de auto-ajuda, é de nos dar exemplos de pessoas que passaram pelos mesmos problemas ou até mesmo piores que os nossos e nos inspirarem à responder de acordo com a situação.

Livros são tesouros, que guardam jóias e ensinamentos para os momentos mais delicados de nossa vida, mas temos o livre-arbítrio para decidirmos se usamos as jóias ou acatamos os ensinamentos.

Não recomendo nenhum livro que faça você se sentir mal ou manipular seus sentimentos.

Marcello Lopes

Um comentário:

Por que você faz poema? disse...

Não recomendo nada que seja "leitura obrigatória", leitura não é obrigação.