sábado, 1 de maio de 2010

Pequeno Tratado das Grandes Virtudes


Nascido em Paris, em 1952, André Comte-Sponville é autor de uma obra filosófica descomplicada e bastante popular na França e fora dela, na qual ele transita por temas clássicos, como o amor e a felicidade, e as urgências da vida contemporânea. Em um de seus livros mais célebres, O Capitalismo É Moral?, o filósofo discute a relação, ou melhor, a falta de relação entre ética e economia. Montaigne, Espinoza e Epicuro estão entre as maiores influências do filósofo.

Ateu declarado, Comte-Sponville não renega, no entanto, a educação católica recebida durante a infância e a adolescência, e suas obras estão carregadas de referências ao budismo e a outras religiões orientais, das quais ele diz ser grande admirador.

O que parece contraditório à primeira vista pode ser resumido assim: o pensador francês é partidário de uma espiritualidade que pretende ir além das religiões e da crença em Deus, pensamento que ele expõe na obra O Espírito do Ateísmo. André Comte-Sponville já foi professor da Sorbonne, mas hoje dedica-se exclusivamente a seus livros e às palestras que ministra.

Nesse livro Sponville traça de modo admirável o caminho para que nos tornemos mais humanos, em cada capítulo uma virtude, em cada linha as lições de virtudes que nos faltam e algumas que temos.

Para ler e reler ao longo da vida.

Marcello Lopes

2 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Marcello, meu querido
Estou feliz da vida com suas indicações! Estou anotando tudo, fazendo a "lista do Maecello".
Obrigada!

Um abraço

Lia disse...

Oi, Marcello
Já vi esse livro várias vezes em promoção no site do Submarino e quase comprei...o título chama bastante a atenção. Bom fim de semana para vc.