sexta-feira, 9 de abril de 2010

Literatura e Arte na França


Em 1903 chega em Paris uma mulher pequena e gordinha, de jeitos masculinos nos modos e no modo como fala, sempre acompanhada do seu irmão Leo, seu nome é Gertrude Stein.

Os dois se mudaram para um ateliê de dois andares e passaram a frequentar museus e exposições, galerias de arte comprando obras de Renoir, Gauguin e Cézanne. Em 1905 Paris sofre um abalo, mas é de natureza artística, são os coloristas, os defensores das cores no salão de Outono do Grand Palais, e nasce um movimento chamado fauvismo que deriva da frase do crítico Louis Vauxcelles quando viu as obras expostas chamo-os de "Cage aux fauves" ou " Gaiola das feras". Essa denominação era perjorativa e passou a designar os pintores que usavam as formas planas, de contorno pouco elaborado e cores exarcebadas, sem claro-escuro.

São os quadros de Matisse, Braque, Marquet, Friesz, Manguin que causam escândalo do público conservador, o irmão de Gertrude compra por 500 francos um dos quadros de Matisse chamado A Femme au chapeau e o coloca em seu ateliê já ornamentado por quadros de Renoir, Toulouse-Lautrec e Manet.

POr intermédio de um amigo bem relacionado, os irmãos Stein conhecem Pablo Picasso em 1905, tornando-se amigos, com as mesmas opiniões sobre arte, pintores. É rotineiro as visitas de Gertrude no ateliê de Picasso, e é por intermédio dela que Picasso e Matisse se conhecem em 1906.



Em breve a casa de Gertrude se tornará ponto de encontro de diversos pintores e escritores fugindo da moralidade exarcebada dos EUA e pelo câmbio vantajoso na Europa após a 1° Grande Guerra, como Apollinaire, Ezra Pound, Ernest Hemingway e James Joyce entre outros.

Esse período de grande efervescência ficaria pra sempre em um dos seus livros, Autobiografia de Alice B. Toklas, de 1933. Esta obra se tornaria um dos marcos essenciais do movimento vanguardista das décadas de 10, 20 e 30. Embora ela tenha sido criada por Stein, foi narrada do ponto de vista de sua secretária particular e parceira ao longo de vinte e cinco anos, Alice B. Toklas.

Gertrude conta como novos criadores, de origens as mais variadas, foram para Paris e nesta cidade se uniram. Picasso era catalão, enquanto Joyce vinha da Irlanda e Stein dos EUA.

Suas primeiras narrativas, entre elas O Modo de Ser dos Americanos, que ela escreveu de 1906 a 1908, e Três Vidas, de 1909, apresentavam recursos textuais considerados por muitos como uma escrita automática, a qual inspiraria profundamente a futura prosa experimental. Stein criava parágrafos completos sem nenhuma descontinuação.

Ela procurava, assim, estabelecer uma analogia entre este ritmo narrativo incessante e a jornada do próprio Homem. Este seu estilo a levava muitas vezes a ser considerada uma autora genial, mas também muito temperamental. Gertrude escreveu também ensaios significativos que compuseram sua obra O Que É a Literatura Inglesa ? de 1935.


Pesquisa e Texto: Marcello Lopes
Fotos: Google

4 comentários:

Edison Junior disse...

Um período riquíssimo da cultura mundial. Abraços!

Fernando Antonio Pereira disse...

Olá!
Saudações Literárias...
Parabéns! Muito bom o espaço.
Sempre que puder voltarei.
Abraços de Luz.
Visite o ILUMINANDO A VIDA.

Marcello disse...

Oi Edison, acho que é o período mais rico da história.

Fernando, obrigado pela visita, farei uma visita no seu blog.

leonorcordeiro disse...

Oi Marcello !

Que bom receber a sua visita "Na dança das palavras". Já era seguidora do "Tudo que vejo".
Que delícia essa sua postagem.Ótimo texto!
Foi muito bom encontrar você e esse seu espaço.
Grande abraço!
Com carinho,

Leonor Cordeiro