quinta-feira, 29 de abril de 2010

Lançamentos Editora Record - Parte 2

Continuando a mostrar alguns lançamentos da Editora Record, apresento aqui o novo livro de Lya Luft, Múltipla Escolha.



Lya está mais madura nesse novo livro, muito mais confiante e sua prosa poética ainda emociona e faz refletir sobre assuntos como drogas, relacionamento e outros assuntos do nosso cotidiano trazendo o leitor à escolhas de atitude ou somente de opinião.

Seu último livro Silêncio dos Amantes tinha um teor mais pesado, mais denso e cinza que outros que ela escreveu, mesmo assim vendeu quase 200 mil exemplares, ficando na lista dos mais vendidos várias semanas.

Sou fã de Lya Luft, como disse sua prosa me inspira e emociona, seus poemas também vertem toda a realidade do seu olhar poético sobre as coisas mais banais.



Lya Luft começou sua carreira literária em 1980, aos 41 anos, com a publicação do romance As parceiras, seguido por A asa esquerda do anjo (1981), Reunião de família (1982), Mulher no palco (1984), O quarto fechado (1984), Exílio (1987), O lado fatal (1988), A sentinela (1994), O rio do meio (1996, Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes), Secreta mirada (1997), O ponto cego (1999), Histórias do tempo (2000), Mar de dentro (2002), Perdas & Ganhos (2003), Pensar é transgredir (2004) e, no mesmo ano, Histórias de Bruxa Boa, sua estréia na literatura infantil, tema que retornaria em 2007 com A volta da Bruxa Boa.

Em 2005, publicou o volume de poesias Para não dizer adeus e, em 2006, a reunião de crônicas Em outras palavras. Em 2008, após quase uma década afastada da ficção, Lya retorna ao gênero com O silêncio dos amantes.

Formada em letras anglo-germânicas e com mestrados em Literatura Brasileira e Lingüística Aplicada, Lya trabalha desde os 20 anos como tradutora de alemão e inglês, e já verteu para o português obras de autores consagrados, como Virginia Woolf, Günter Grass, Thomas Mann e Doris Lessing, além de ter recebido o prêmio União Latina de melhor tradução técnica e científica em 2001 pela tradução de Lete: Arte e crítica do esquecimento, de Harald Weinrich. Desde 2004, assina a coluna Ponto de vista, da revista Veja.

Texto: Marcello Lopes
Fotos e Info sobre o autor: Grupo Editorial Record

2 comentários:

M.F. disse...

Li 2 livros da Lya, mas adoro tanto ela... Tem um ar poético em tudo, uma certa delicadeza. Gosto muito. E adorei o título desse novo. Me parece bem interessante, quero ler :)

Lia disse...

Oi, Marcello
Adoro minha xará Lya..rs..meu preferido é Perdas e Ganhos, mas não gostei do livro O Silêncio dos Amantes; como vc disse é muito pesado. Esse achei interessante, quero ler tb