terça-feira, 30 de março de 2010

A arte imaterial como forma de propagação e educação cultural

p

Lendo alguns estudos sobre internet percebi o quanto estamos sendo influenciados pelo mundo virtual, e depois de assistir Os Substitutos com Bruce Willis, onde em um futuro não muito distante somos substituídos por clones dirigidos por nós em uma sala de controle virtual, essa percepção aumentou ainda mais.

Hoje em dia vivemos em uma sociedade que os bits são mais importantes que os átomos, não levamos mais dinheiro e sim cartões de crédito/débito, somos identificados hoje pelas redes sociais e não mais pelo n° do R.G.

Trabalho/Arte imaterial é de acordo com os estudiosos, o trabalho que produz um bem que pode ser informação, serviço, produto cultural ou comunicação.

E se divide em duas partes :
  • intelectual ou lingüística, responsável pelas formas lingüísticas, símbolos, imagens, textos, idéias.
  • afetiva, que determina ou manipula os afetos, as sensações.
É imaterial porque a presença física já não é mais uma prioridade e onde os locais de criação podem ser facilmente "transportados" ou " descentralizados".

OK, explicado o que é arte imaterial, acredito que o que fazemos (blogueiros) é, de certa forma, uma arte ou servimos como ferramentas de propagação cultural, somos responsáveis pelo material que publicamos e também pela resposta que o público tem em relação ao nosso material (ação e reação).

Lembro-me do caso de plágio que a tradutora e blogueira Denise Bottmann, do blog Não Gosto de Plágio, é uma das citadas em uma ação judicial aberta pela Editora Landmark. 

O caso se espalhou e se tornou um debate sobre a lei de liberdade de expressão os limites de abuso de uma grande corporação e a falta de ética com o consumidor para se ter uma idéia, a lista do Manifesto de Apoio a Denise já conta com mais de 2600 assinaturas (assine você também).


Esse exemplo de como o mundo virtual pode ser um benéfico propagador de notícias, informações úteis e acima de tudo, um unificador de pessoas em prol de um único objetivo é o que mais me chama a atenção. Se por um lado temos o lado podre da web com a massificação da pornografia, os crimes virtuais e os delitos como invasão de perfis, troca de senhas, enfim as baixarias que estamos acostumados a ver e ser vítimas, a web tem sido ao longo dos anos um instrumento de transmissão de informações culturais que muitos não teriam acesso se não fosse pela web.

Por isso eu estou criando um projeto - já tinha falado sobre isso no post anterior - de criar laços cada vez maiores com os outros blogueiros, através de parcerias, de criação de blogs comunitários, de trabalho voluntário em comunidades sem acesso à educação ou com educação precária (não é a mesma coisa ?) e quem sabe em alguns anos teremos um portal onde encontraremos todas as informações culturais que quisermos e escrita por pessoas que vivem isso no dia a dia ou que amam a ponto de saberem muito.

Compartilhar essa qualidade/inteligência é fundamental para quem não tem um acesso tão claro e livre da web, colocar nas escolas o acesso aos blogs literários, aos de informação como o do Daniel Piza, do Galeno, de vários blogueiros que eu sigo, o blog do professor Filipe ou o blog de informações do jornalista mineiro Wander Veroni o Café com Notícias ou até mesmo o Tudo é História que eu leio sempre....



Uma amiga, a Camila, trabalha na Oficina de Letras na CEPSI e usa a poesia como forma de tratamento aos pacientes em consulta.

Essa oficina fornece campo de leitura, interpretação e construção poética, já que a poesia é capaz de se reinventar e criar uma nova realidade, possibilitando aos pacientes uma interação com as letras e ativa a criatividade fazendo da poesia uma forma de drenar o sofrimento interno.

Esse exemplo de interação me deixa imaginando até onde podemos ir... Poetas e psicólogos trabalhando lado a lado, professores e contadores de história juntos utilizando a ferramenta educacional mais antiga do mundo, a educação oral.

Criando laços de cooperação podemos unir profissionais de todas as disciplinas para ajudar de alguma forma o sistema educacional desse país.

Na minha modesta opinião, somos privilegiados por termos acesso à um mundo de informações e sinto que é nosso dever transmiti-lo para o maior número de pessoas.

Acha que pode ajudar ??? Espalhe essa idéia !!!

Texto: Marcello Lopes
-> Explicação sobre arte imaterial retirada do excelente ensaio de Hanny Saraiva Ferreira (UERJ/FEBF) sobre criatividade como ferramenta imaterial.
Fotos : Google

2 comentários:

Filipe disse...

Ô meu velho!

Como você arranja tempo pra isso tudo?!

Belíssima análise! Fico grato e honrado e sem jeito pela referência ao meu trabalho!

Um grande abraço!

The human who sold the world disse...

Qual não foi minha surpresa ao achar meu nome aqui! Obrigada pela referência e sim, criemos laços de cooperação! Sempre!

:)

Hanny