terça-feira, 9 de fevereiro de 2010


Morreu o cantor Pena Branca da ex-dupla sertaneja Pena Branca & Xavantinho, vítima de enfarte, nesta segunda-feira, 9. Tinha 70 anos.

Pena Branca e Xavantinho ganharam, em 1990, o Prêmio Sharp de melhor música ("Casa de Barro", de Xavantinho e Moniz) e melhor disco ("Cantado do Mundo Afora").Em 1992, a dupla recebeu o prêmios Sharp e APCA.

Os irmãos gravaram, em 1993, "Violas e Canções" (Velas), destacando-se "Viola Quebrada" (Mário de Andrade). Nesse ano, os shows da dupla chegaram até os Estados Unidos.

Lançaram ainda "Ribeirão encheu" (Velas), em 1995, com "Luar do sertão" (João Pernambuco e Catullo da Paixão Cearense), e "Pingo d'água" (Velas), em 1996, com "Tristeza do Jeca" (Angelino de Oliveira) e "Flor do Cafezal" (Luís Carlos Paraná).

Foi com essa dupla que me apaixonei pelo verdadeiro sertanejo, não essa bosta que existe hoje, e sim pelos cantores do mato, do interior, caipira mesmo, como Sérgio Reis, Rolando Boldrin, Tonico e Tinoco, Almir Sater, Renato Teixeira....

Deixo as palavras de Rolando Boldrin, um dos homens mais versados em caipirês que eu conheço:

- "Tive a felicidade de produzir o segundo disco de Pena Branca e Xavantinho, em 1981. Eles foram verdadeiros heróis da resistência caipira.

Inspirados naturalmente por Tonico e Tinoco, provaram que aquela era a verdadeira música caipira, não a que se faz atualmente, que não é nada. Eles inovaram ao gravar outros tipos de música, como Cio da Terra, e até composições de Ataulfo Alves, com aquele jeito purinho da música caipira"

Bom, depois dessas palavras só posso desejar muita paz, e que Jesus conforte seus entes que ficaram aqui, na certeza de que hoje, o plano espiritual tem a orquestra de violeiros completa.

P.S: Ele era mineiro de Uberlândia.

Marcello Lopes

Fonte: Estado de Sp
Fotos : Google

3 comentários:

ED CAVALCANTE disse...

Grande perda, música caipira de raiz. A música de Pena Branca, mesmo depois da separação com Xavantinho, mostrou-se consistente e conseguiu um prêmio internacional. Para um músico que foi fiel às raizes até o fim, isso é muito representativo.

Abraço!

Paula disse...

Cio da Terra na voz deles é a música mais emocionante que eu já ouvi na vida.
Mas...o céu deve estar em festa mesmo...

Marcello disse...

Ed, tem razão sobre o significado do prêmio em um País tão alienado e de mal gosto como o nosso, só isso serviria pra lembrarmos da sua obra para sempre.

Paula, deve ter festa todas as noites em volta da fogueira lá no plano espiritual.