sábado, 20 de fevereiro de 2010

Lojas Físicas x Ponto.com

Dono de um sebo no centro de Belo Horizonte por cinco anos, Renato Ribeiro decidiu no fim de 2008 fechar a loja. Manteve-se, porém, no comércio de livros usados: alugou uma sala menor, para onde transferiu seu acervo de 20 mil títulos, e hoje vende somente pela internet, nos portais que intermedeiam transações entre livreiros e leitores.

O mesmo fez o paulistano Gunter Zibell, que trocou a loja física pela virtual, cadastrando em alguns sites os seus 60 mil volumes. Ambos afirmam que o corte de despesas com pessoal e contas justificou a opção.

O movimento reflete a reviravolta no mercado de livros usados e raros detonada pela evolução das redes de sebo no ciberespaço brasileiro. São portais que reúnem muitos livreiros numa mesma página, onde o cliente compara preços e pesquisa o conteúdo e/ou o estado do volume.

Escolhidos os títulos, o negócio se dá entre o sebo e o leitor interessado --o intermediário lucra com comissão e mensalidades cobradas aos cadastrados.
Soberana no setor, a Estante Virtual, criada em 2005 e que reúne 1.600 sebos e 6 milhões de livros, ganhou nos últimos anos concorrentes que, se não chegam a ameaçar sua liderança, já provocam reações típicas de uma guerra comercial.

A sombra maior é a Gojaba. Subsidiária brasileira da gigante canadense AbeBooks, comprada em 2008 pela Amazon, a Gojaba chegou no mesmo ano ao Brasil com uma tática agressiva: não cobrar mensalidade nem comissão dos livreiros.

A Estante, que cobra 5% de comissão sobre as vendas e mensalidades que variam de R$ 29,90 (2.000 livros) a R$ 132 (60 mil livros) reagiu, ameaçando levar o concorrente aos órgãos de defesa da concorrência. "Isso é 'dumping' total [venda por preço inferior ao do mercado]. Sem cobrança aos livreiros, não há como sustentar um portal assim. Pensamos em entrar com uma ação no Cade, mas, como eles não afetam nossa liderança, não entramos", revelou André Garcia, dono da Estante.


"Não comento. Eles têm seu ponto de vista, temos o nosso. Se entrarem com ação, tomaremos medidas", disse o diretor do Gojaba, Giovanni Soltoggio, baseado na Alemanha.

Trata-se de um mercado ascendente. A Estante Virtual não revela o faturamento, mas informa que em 2009 o volume de vendas no portal foi de R$ 28 milhões, 2.800% maior que em 2006 (primeiro ano medido) e crescente desde então. Garcia diz ter 98% do mercado. Livreiros independentes estimam que ele domine 80%.

Soltoggio não cita números, mas se diz "muito satisfeito" com os resultados da Gojaba no Brasil. "Estamos chegando a 3 milhões de livros on-line [240 livreiros] e a oferta só cresce." Além do Gojaba, outras redes menores de sebo disputam terreno com a líder.


Entre os livreiros, a Estante é em geral elogiada e de longe a favorita, representando parcela expressiva do total de vendas das lojas. "Vamos falar claro: sinônimo de livro usado hoje não são o Brandão nem o Messias, é a Estante Virtual", diz Eurico Brandão Jr., do sebo Brandão, há 58 anos no mercado e com lojas em três cidades, São Paulo, Recife e Salvador, nas quais 60% das vendas são pelo portal.


Há também queixas. "Tem livro que vale R$ 100, mas tem gente que não sabe do valor e põe à venda na Estante por R$ 10, depreciando o produto", diz o gerente do sebo paulistano Nova Floresta, José Amorim.


Para Luiza Tsuyama Cardoso, do Traças e Troços, o caráter virtual dos portais atrapalha os livreiros. "Não há contato humano, você não tem chance de argumentar com eles, gera uma sensação de impotência."


A Estante, como o nome diz, tem toda a operação virtual. O Gojaba nem possui representante no Brasil. "O 'e-commerce' pode ser feito de qualquer lugar que tenha eletricidade e conexão à internet", diz o relações-públicas da AbeBooks, Richard Davies, do Canadá.

Fonte: Folha de Sp

-> Infelizmente essa reportagem só vem mostrar a dura realidade que afeta os pequenos livreiros em todo o país, as gigantes da web destróem qualquer tipo de negócio livreiro.

Para se ter uma idéia, a coleção do Harry Potter custa em qualquer loja física em torno de R$ 150,00, no Submarino, a coleção sai por R$ 60,00 !!!!

E vou mostrar mais uma sacanagem das ponto.com + editoras, a coleção do Senhor dos Anéis que eu me matei pra comprar, está saindo por míseros R$ 28,00 os 3 volumes !!!!!!!!!!

Quer dizer, mata qualquer concorrência, porque as lojas físicas tem mais gastos que as virtuais, e se estiverem em shop. tem + 5% do faturamento que é repassado à administração, fica inviável se trabalhar apenas com livros, por isso hoje em dia você entra em uma livraria, tem tudo para se vender desde revistas até eletrodomésticos....

Quando eu era representante da Superpedido Distribuidora, a maior do país, visitava as livrarias do interior de Sp e baixada, e não foi poucas vezes que eu visitei uma loja e na outra semana ela estava fechada, e eu sei que são vários fatores que se somam à esse fracasso, uma má administração, compra errada de livros, marketing zero, ponto fraco, mas conversando com muitos livreiros, fica claro que as ponto.com eliminam os lucros e um leitor não muito fiel, elimina a possibilidade de se sair de casa para buscar um livro.

Eu trabalho em uma livraria aqui em BH que compra alguns produtos da Submarino.com para revender por um preço um pouco maior os livros, e infelizmente, eu tive que concordar com o proprietário, nem todos os clientes são usuários de internet ou se são nem todos utilizam-se da ferramenta da web pra compra de livros, então ao invés de vender o Harry Potter por R$ 39,90 ele vende por R$19,90.

E essa prática é feita por todos os pequenos e médios livreiros do Brasil inteiro, não tem como não fazer, a web ainda tem suas desvantagens, como o frete, a demora na entrega e a falta de contato humano.

Um bom atendimento em uma livraria rende ao livreiro um cliente fiel e até mesmo novos clientes, nos meus tempos de Livraria Cultura existiam clientes que entravam na loja, perguntavam por um vendedor específico e se ele não estivesse na loja o cliente não aceitava ser atendido por outro.

É por isso que a Cultura é padrão de atendimento em todo o país, tanto na loja física como na ponto.com, a qualidade na seleção de funcionários, o rigor nos testes, o treinamento de 30 dias antes do contato com o público, um bom salário ajudam a melhorar cada vez mais as vendas, e também a pressão pelo atendimento impecável, as punições caso haja algum erro por parte do funcionário no atendimento ou no envio do livro, são os fatores negativos que influenciam e pressionam os vendedores para se obter um ótimo atendimento.

Eu como amante de uma boa livraria não compro meus livros pela net, não censuro ninguém que os compre, mas prefiro o contato com o vendedor, sentir o cheiro do livro, folhear os livros, ler as orelhas, esse mundo mítico e maravilhoso de uma loja que comercializa conhecimento e diversão nenhuma ponto.com pode substituir.

Mas que as pequenas lojas estão fadadas ao desaparecimento, infelizmente é uma verdade difícil de engolir.

Marcello Lopes

5 comentários:

Luka disse...

É Marcello !
Nada se compara ao cheiro, ao clima, ao astral bom de uma livraria.
A net tem suas vantagens mas não substitui.
Beijos de fada.
Luka.

Kézia Lôbo disse...

Bahhh sou contra a Estante Virtual na boa..
Encomendei uns livros e paguei direitinho.. Eles nunca chegaram, reobaram meu dinheiro, reclamei e nem resposta... ¬¬
Odiei...
Adoro livrarias, mas a minha verba é curta e opto pelos mais baratos...
Ooo qual seu blog principal, pois quero seguir... Gostei daqui.. XD

Adilean Coelho Alencar disse...

Olá Marcelo,sou de BH também!
Visitei um sebo outro dia aqui no centro ,mas será o seu?
Amei a recepção,o calor dos livros,e comprar pela net não é a mesma coisa...
Gosto de conversar coma as pessoas ,de olhar nos olhos...Perguntar se me indicam tal livro,se já leu,o que achou...
Enfim amei seu blog,deixa o endereço do sebo para mim.Beijocas!Deus abençoe sempre!Paz e bem!

Iris disse...

Tem que se levar em conta a qualidade do produto também. A coleção de Harry Potter que está a venda na Submarino tem qualidade inferior aos livros das livrarias, são sem orelha e sem as letras "brilhantes".
:*

Marcello disse...

Luka.. obrigado pela visita, comprar em uma livraria tem seu charme...

Kezia, muitas livrarias fazem promoção, a editora Record e Best Seller estavam com uma promoção de 9,90 cada título... Procure aí que vc acha coisas boas...

Adilean, eu trabalho na Leitura, não em Sebo. Beijos...

Iris, obrigado pela visita, mas eu nem comentei sobre a qualidade pq sei que dificilmente a Rocco liberaria os livros de forma completa nesse preço, mas infelizmente o público não quer nem saber se ele tem orelha ou não, e mesmo um exemplar mais simples rouba muita venda. Volte sempre.