sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Exilados de Montparnasse


Paris.

A capital das luzes. A origem de uma série de grandes escritores, desde Rabelais até Georges Simenon e Muriel Barbery, e uma grande influência entre centenas de outros escritores.

Muitos vieram radicados de suas terras como Camus,Marguerite Duras, um traço marcante na literatura francesa é que ela é capaz de atravessar limites de sua fronteira e influenciar todo o Ocidente.

Sabendo da importância mundial da França no mundo das letras, comecei a ler um livro chamado Os Exilados de Montparnasse, de Jean-Paul Caracalla, lançado pela Ed.Record.

O livro conta a trajetória dos artistas estrangeiros (maioria ingleses e americanos) que escolheram Paris após a 1° Grande Guerra para viver e trabalhar.

Esses artistas se reuniam nos cafés La Closerie de Lilas, La Coupole, nas livrarias de Sylvia Beach (Shakespeare and Company), na de Adrienne Monnier (La Maison des Amis des Livres) ou no ateliê de Gertrude Stein.

Imaginem se pudéssemos voltar no tempo, e ao entrarmos no restaurante Chez Baty, veríamos Picasso, Roché e Marie Vassilieff jantando juntos, ou então tomar café na varanda do La Rotonde e esbarrar em Modigliani, Ortiz de Zárate e Jean Cocteau...

Ou ir ao teatro e assistir um balé dirigido por Jean Cocteau com a colaboração de Picasso, Erick Satie ?

Pois nesse livro, a atmosfera é essa, de se voltar no tempo e encontrar-se com os escritores que hoje são venerados e lidos em todo mundo, como James Joyce, Hemingway, Ezra Pound, T.S. Eliot, Fitzgerald, Edith Wharton, André Gide, Paul Valéry.

Jean-Paul não é um escritor, e sim um historiador que conhece muito bem a cidade onde mora, as informações são precisas e com a biografia desses grandes nomes da arte, cria-se um retrato vívido de uma época de efervência intelectual e liberdade exarcebada, livre das imposições morais que existiam nos EUA e na Inglaterra.

Uma dica é ler o livro com o Google disponível, assim quando o autor citar algum artista desconhecido, você pode fazer uma rápida pesquisa e ficar à par da vida e entender melhor o contexto que sua arte expressava.


Boa Leitura.

Texto: Marcello Lopes
Foto: Marcello Lopes
Capa do Livro : Editora Record

Um comentário:

Luka disse...

Marcello,
Obrigada pelo carinho.
O Quem lê o recebe com muito carinho. Venha sempre, deixe recados e opine sobre os livros que me fazem viajar, afinal, quem lê faz seu próprio filme.
Adorei seu blog e estou te seguindo para que possamos ficar por dentro das novidades.
Beijos de fada.
Luka.