sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010



Cadernos de Infância são as memórias da poeta e romancista argentina Norah Lange, que nasceu em 1905 e faleceu em 1972, no livro ela narra sua vida e de sua família de origem norueguesa em Buenos Aires.

É o terceiro livro em prosa da autora, que já tinha lançado um livro de poesias chamado "La Calle de La tarde" com o prefácio de Jorge Luis Borges, que ela conheceu quando trabalhava nas revistas literárias Martin Fierro e Proa.

Sua família é grande, são 6 filhos e no livro ela ressalta bem a figura materna como sendo a principal fonte de carinho para os filhos, e nos sensibiliza suas descrições dos momentos de pobreza.

O livro vale a pena pelo talento de Norah em recriar lembranças alegres e tristes com o mesmo empenho, com a mesma coloração e dando à elas um toque comovente e lírico.

Biografia :

Participou ativamente das revistas Prisma, Proa e Martín Fierro.

Publicou os livros de poesia La calle de la tarde (1925), com prólogo assinado por Borges, Los días y las noches (1926) e El rumbo de la rosa (1930).

Seu primeiro romance, Voz de la vida, chegou às livrarias em 1927, seguido pelos volumes 45 días y 30 marineros (1933), Personas en la sala (1950) e Los dos retratos (1956).

Cadernos de infância ganhou o primeiro Prêmio Municipal de Buenos Aires e o segundo Prêmio Nacional de Literatura.

Em 1958, Norah Lange conquistou o grande Prêmio de Honra e a Medalha de Ouro da Sociedade Argentina de Escritores (SADE).

Resenha : Marcello Lopes
Biografia : Grupo Editorial Record

4 comentários:

Luka disse...

Marcello,
Pensando bem, eu preciso ler um livro de poesias. Acredita que eu nunca li ?
Beijos de fada.
Luka.

Mariane disse...

Olá Marcello...

Fiquei muito feliz com a sua visita ao meu blog, muito obrigada, será sempre muito bem vindo! Quantos espaços interessantes vc tem, parabéns... também vou lhe seguir...

Um ótimo dia..

Abraços...

nina rizzi disse...

ótimo espaço, cara.
um beijo.

Lou James disse...

Olá Marcello, grato pela dica. Não tenho muito contato c/ a poesia argentina, conheço Jorge Luis Borges e sou fã do escritor surrealista Antonio Di Benedetto. O livro 'Mundo animal' publicado em 1953 é sensacional. Tmb recomendo 'Os Suicidas' de 1969. A narrativa de Di Benedetto neste romance de temática sombria traz-nos matizes de sugestiva beleza poética. Bom final de semana e um forte abç.