quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Um conto inesquecível....


Um dos maiores desafios de um escritor é transmitir idéias e emoções através de uma narrativa simples, direta e clara.

Foi isso que Tchekhov fez com o conto A Dama do Cachorrinho, lembrado no último filme de Kate Winslet, O Leitor.

É a história de Dmítri que entediado com o seu casamento busca aventuras amorosas, e de férias em uma cidade chamada Ialta observa uma mulher que passeia diariamente com seu cão branco, seu nome é Ana e ela também está infeliz em seu casamento.

Ana está na cidade com a desculpa de se curar de uma doença inexistente, e ao encontrar Dmítri se deixa levar pela carência e solidão, passam a se ver todos os dias e depois que o marido de Ana a chama de volta ao lar, se separam com a promessa de não mais se verem.

Depois de um tempo, Dmítri larga tudo para se encontrar com Ana em sua cidade, sem se preocupar com a reação dela à sua visita, e para sua surpresa Ana confessa que não parou de pensar nele um só momento.

Á partir daí, se encontram a cada 3 meses, criando uma névoa que divide suas vidas, entre o real e o onírico.

Pode parecer banal essa história nos dias de hoje, talvez até sem graça, mas no fim do século 19 era um assunto delicado diante do conservadorismo da época.

O autor tinha uma facilidade para retratar a vida de pessoas comuns em sua intimidade.

Tchekhov dividiu sua vida entre a medicina e a literatura, dizia ele :

" A Medicina é minha esposa, e a Literatura minha amante, quando uma me aborrece, passo a noite com a outra."




Marcello Lopes

Nenhum comentário: