domingo, 4 de outubro de 2009

Mercedes Sosa



O mundo perde mais uma grande cantora e ícone da resistência à ditadura na Argentina.

Mercedes Sosa faleceu aos 74 anos vítima devido a problemas renais e hepáticos, que debilitaram seus órgãos vitais.

Com seis décadas de carreira na qual circulou por todos os gêneros musicais, também no exílio, enfrentando a censura de ditadores, Mercedes Sosa repartiu o palco em todo mundo com músicos de diferentes estilos e gerações, sem perder nunca sua profunda ligação com o folclore, a música predominante do interior argentino.

Foi uma ativista política de esquerda, peronista na juventude. Em tempos mais recentes manifestou-se como forte opositora da figura de Carlos Menem e apoiou a eleição do ex-presidente Néstor Kirchner.

A preocupação sócio-política refletiu-se no repertório interpretado, tornando-se uma das grandes expoentes da Nueva Canción, um movimento musical latino-americano da década de 60, com raízes africanas, cubanas, andinas e espanholas.

A música mais importante para mim é Gracias a La Vida de Violeta Parra, outra figura importantíssima na América Latina e a cantora mais importante da história do Chile.

Marcello Lopes

Nenhum comentário: