terça-feira, 7 de julho de 2009

Quando a vida se transforma em espetáculo

Os cerca de 20 mil fãs presentes no ginásio Staples Center, em Los Angeles, aplaudiram a entrada do caixão dourado com o corpo do cantor americano Michael Jackson no palco montado para a última homenagem pública ao artista.

Minutos depois, Mariah Carey e o também cantor Trey Lorenz abriram as apresentações musicais cantanto "I'll Be There", sucesso do grupo Jackson Five. "Sentimos saudades suas", disse a cantora ao se despedir.

Logo em seguida, a atriz Queen Latifah subiu ao palco para falar em "nome dos fãs de todo o mundo". Ao ler sua mensagem, arrancou aplausos do público ao afirmar que "Michael era a maior estrela naTerra".

O cantor Lionel Richie, que compôs com Michael a canção "We Are The World", foi o segundo a artista a se apresentar. Ele cantou a música "Jesus is Love".

Berry Gordy, fundador da gravadora Motown, que deu fama aos Jackson Five, fez o segundo discurso da homenagem. Ao lembrar o início da carreira de Michael, fez todos ficarem de pé ao se referir ao cantor como o "maior artista" de todos os tempos.

Após a exibição de um clipe com várias cenas de Michael, o próximo convidado a se apresentar foi o músico Stevie Wonder.

"Não gostaria de estar vivo para ver este momento", disse o cantor e pianista, que interpretou "Never Dreamed You'd Leave in Summer".

Já os ídolos do Los Angeles Lakers Kobe Bryant e Magic Johnson ressaltaram o espírito humanista de Michael e as causas beneficentes a que ele se dedicava.

Num dos momentos mais emocionantes da cerimônia, Jermaine, um dos irmãos do artista, cantou "Smile". A música, de Charles Chaplin, chegou a ganhar uma versão de Michael para a coletânea "HIStory: Past, Present and Future - Book I" (1995).

A atriz Broke Shields, o guitarrista John Mayer, o rapper Usher e a atriz e cantora Jennifer Hudson foram outros artistas que subiram ao palco montado no Staples Center.

A homenagem pública ao cantor teve início hoje, às 10h10 (14h10 de Brasília).

O evento começou com as palavras do artista Smokey Robinson, que leu uma série de mensagens destinadas à família Jackson, uma delas da cantora Diana Ross e outra do líder sul-africano Nelson Mandela.

O caixão com o corpo do cantor americano Michael Jackson chegou ao local minutos antes do início da funeral público, às 9h50 (13h50 de Brasília).

O traslado do corpo foi feito num carro fúnebre. Durante todo o trajeto, o veículo foi escoltado pela Polícia.

Além dos policiais, uma comitiva de mais 29 veículos acompanhou o caixão nos 20 quilômetros entre o cemitério Forest Lawn, em Hollywood Hills, e o ginásio onde mais de 17 mil fãs se despedem do músico. Para evitar incidentes durante o traslado, várias ruas da cidade foram fechadas ao tráfego.

A quadra onde o time de basquete Los Angeles Lakers costuma disputar seus jogos da NBA (liga nacional de basquete) foi inteiramente coberta.

Sobre ela, foi montado um palco azul. Várias coroas de flores também foram espalhadas no local.

-> Enquanto almoçava assistia algumas imagens da homenagem feita ao cantor Michael Jackson, e só ficava pensando sobre Debord que explicava que o espetáculo é uma forma de sociedade em que a vida real é pobre e fragmentária, e os indivíduos são obrigados a contemplar e a consumir passivamente as imagens de tudo o que lhes falta em sua existência real.

E é exatamente o que aconteceu hoje, 20 mil pessoas consumindo e emanando emoções que faltam em suas vidas, o velório virou um pequeno negócio, centenas de pessoas leiloando seus convites pelo maior preço, o pai de Michael como sempre querendo aparecer às custas do filho, mesmo já falecido.

Infelizmente nesses momentos não há menção de nenhuma prece, nada que possa realmente confortar o que mais importa nessa hora, a alma.

Marcello Lopes.

Nenhum comentário: