quinta-feira, 23 de julho de 2009

Anima Mundi


Maior vitrine da animação no País, o Anima Mundi inicia hoje sua 17ª edição em São Paulo, depois da rodada carioca que, este ano, abrigou o Anima Forum, debates que têm ajudado a fortalecer o propósito de uma indústria brasileira do setor.


O Anima Mundi oferece várias sessões, incluindo uma mostra competitiva de longas. No ano passado, ela nem se realizou, por falta de bons filmes.


Este ano, a mostra está forte e competitiva com muitas animações do Canadá, dos EUA e do Japão.


Nesta edição, tem uma representação forte da França. Um dos convidados internacionais importantes é o francês Michel Ocelot, de Kiriku e a Feiticeira, que veio para o Papo Animado.


O estoniano Pritt Parn poderá ser uma descoberta gratificante (além de explicar por que a Estônia se transformou num dos maiores polos de animação do mundo).

E o norte-americano Amid Amidi traz os novos tempos da internet. Ele possui o mais respeitado blog internacional voltado exclusivamente à animação.


Marcia Latini apresentará um momento especial, resgatando a história dos irmãos Latini - pioneiros da técnica no País. A Disney, sinônimo de animação para o grande público, traz Renato dos Anjos e Leo Sánchez, que vêm mostrar como foi feito Bolt - O Supercão.


Serão 400 filmes de 40 países.


Algumas indicações de programas imperdíveis - Kudan, que tem um lado meio Matrix; Presto, da Pixar; The Werepig (O Porcosomem), sobre turistas norte-americanos que somem na Espanha; Hardcover & Paperback, o amor entre origamis; The Royal Nightmare, dos EUA, o pesadelo de um rei em seu castelo, em preto e branco, magnífico; e Our Wonderful Nature, de Tomer Eshed, que representa o cinema de estudantes.


Só para constar - Josué e o Pé de Macaxeira, de Diogo Viegas, foi a melhor animação brasileira pelo júri popular e o italiano Muto, de Blu, a melhor pelo júri oficial, no Rio.

Nenhum comentário: