quarta-feira, 24 de junho de 2009

Música

A era do rococó clássico, galante, chegaria ao fim com a Revolução Francesa.

Depois dela a vida do artista nunca mais foi a mesma, porque no Classicismo o músico era um empregado da corte que sobrevivia graças aos nobres e era obrigado a escrever músicas para eventos e encontros.

Com a revolução tudo mudou, o músico se transforma em um indivíduo da sociedade, autônomo tendo que lutar para sobreviver, já que o nobre que o pagava não existe mais.

No entanto, ele ganha a liberdade de criar quando e o que quiser, esse é o início do movimento romântico.

Os ideais da Revolução Francesa, "Igualdade, Liberdade e Fraternidade", farão o artista retratar mais a vida do homem comum.

Se os pintores do Classicismo retratavam a realeza e os pintor romântico o homem simples, os compositores românticos se preocuparão mais com eles mesmos, sendo mais individualista como uma maneira de se impor na sociedade.

Muitas vezes o artista que conseguia obter sucesso material com sua arte não era bem visto, sendo considerado um burguês e mercenário, mesmo que sua obra fosse genial como a de Wagner.

O Romantismo direcionou a arte para o sofrimento humano, mesmo tendo surgido do sentimento da alegria e liberdade dos ideais da revolução. Foi como se o artista durante o séc 18 se sentisse tão aprisionado que extravasou isso, liberando sentimentos líricos e heróicos.

Mas a morte e as tragédias humanas também são exploradas numa tentativa de exaltar esses sentimentos.

Os compositores criam novas formas de harmonias musicais como fantasia, rapsódia, balada e poema sinfônico.

As óperas dramáticas são mais exploradas nesse momento, e além disso, destaca-se a sinfonia.

A importância da sinfonia começa com Beethoven, em um mesmo período Haydn compôs 100 sinfonias enquanto que Beethoven apenas 9, porque ele levava quase 2 anos para completar cada sinfonia com um trabalho minucioso e complexo, geralmente sem datas e sem pressões como ocorria no Classicismo.

Esse culto a sinfonia influenciará todos os compositores do séc 19 até chegar nas sinfonias gigantescas e complexas de Bruckner e Mahler.

Praticamente o período romântico é todo germânico, com raras exceções a países como Inglaterra, França e Itália.

Ouçam :

Berlioz - Sinfonia Fantástica

Richard Strauss - Assim falou Zaratustra

Mahler - Sinfonia nº 8

Beethoven - Sinfonia nº 9

Nenhum comentário: