quinta-feira, 14 de maio de 2009

Conselho de Segurança mostra preocupação com relatório da ONU sobre Gaza


O Conselho de Segurança (CS) da ONU expressou nesta quarta-feira preocupação com as conclusões do relatório de uma comissão do organismo no qual se acusa a Israel de "negligência e imprudência" pelo bombardeio de instalações da organização durante o conflito de Gaza.


"Os membros do Conselho de Segurança expressaram preocupação com as conclusões do relatório", disse o presidente de turno do principal órgão da ONU, o embaixador russo Vitaly Churkin.


Ele afirmou que os 15 integrantes do conselho não exigiram ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que adote qualquer medida de acompanhamento, mas expressaram interesse "em que seja relatado o progresso obtido no assunto".


Em 5 de maio, após a divulgação do relatório, Ban afirmou que pedirá uma indenização ao governo israelense pelos quase US$ 11 milhões em danos causados pelos ataques às instalações da ONU na ofensiva do país contra o grupo islâmico Hamas na faixa de Gaza, entre dezembro e janeiro passados.


Churkin explicou que a Líbia, o representante árabe no conselho, retirou um projeto de resolução no qual as ações israelenses eram condenadas. Em troca, os países ocidentais aceitaram que o principal órgão da ONU expressasse a preocupação com o conteúdo do relatório.


Israel se negou a pedir desculpas pelos bombardeios do Exército a seis instalações da ONU investigados pela comissão designada por Ban, e qualificou o relatório de "vergonhoso" e "tendencioso".


A ofensiva do Exército israelense em Gaza deixou 1.434 palestinos mortos, incluindo 960 civis, 239 policiais e 235 militantes, segundo o Centro Palestino de Direitos Humanos. O Exército israelense confirma 1.370 mortes, entre elas 309 civis inocentes --dos quais 189 são crianças e jovens com menos de 15 anos.


Só lembrando que os ataques israelenses a seis instalações da ONU incluíram um hospital cheio de crianças palestinas nos quais usou fósforo branco e causou danos superiores a US$ 10 milhões.


Israel é responsável pela morte e feridos que ocorreram dentro das instalações das Nações Unidas, assim como dos danos físicos causados às instalações e propriedades da ONU.


É mais uma medida israelense para massacrar o povo palestino lançando bombas de 1 tonelada sobre a cidade !!!!


Depois dizem que os árabes são terroristas e os judeus as vítimas. . . .


Faz-me rir !!!


Ah !! mas a boa notícia é que vocês nunca terão a paz desejada, por mais que matem as crianças e mulheres palestinas, por mais muros que vocês construam, a paz é feita de boas ações e de verdadeiras intenções, coisas que vocês nunca se mostraram aptos á fazer.


Outra boa notícia é que os israelenses serão julgados pelo juiz espanhol Fernando Andreu, e os (assassinos..ops) réus são o ex-ministro israelense da Defesa Benjamin Ben Eliezer, o comandante das Forças Aéreas israelenses no momento do ataque, Dan Halutz, o general das Forças de Defesa israelenses, Doron Almog, o presidente do Conselho Nacional de Segurança de Israel, Giora Eiland, o secretário militar do ministro da Defesa, Michael Herzog, o chefe do Estado Maior, Moshe Yaalon, e o diretor do serviço geral de segurança de Israel, Abraham Dichter.


Será que vai acontecer algo com eles ???? Eu duvido.


Se fosse um militante palestino, sem dinheiro e EUA por trás, ele seria condenado à morte ou perpétua....mas quem sabe um dia o mundo se canse de ver Israel como coitadinhos e abra os olhos para os verdadeiros assassinos que eles são.


Marcello Lopes

Nenhum comentário: