sexta-feira, 17 de abril de 2009

Israel não deseja paz com palestinos



Lendo as últimas notícias dos jornais nacionais e internacionais, me deparei com a seguinte pergunta :


- Israel quer ou não a paz no Oriente Médio ???


E eu chego a pensar que definitivamente não existe essa idéia na cabeça do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e outros altos funcionários do governo que também se opõem à ideia de um estado Palestino.


Os americanos liderados por Barack Obama vêem a criação do estado Palestino como uma forma de coibir a violência dos grupos "terroristas" e encaram esse assunto como questão de interesse nacional.


Eu concordo com os americanos, e não sou a favor da atuação dos grupos de resistência chamados de "terroristas" pelos judeus, acho que o mais importante hoje é a criação desse estado e a construção do muro que divide as nações, porque se não conseguem viver juntos então pelo menos separando-os quem sabe minimiza-se as agressões.


Mas uma coisa é fato, os judeus não aceitam a criação do estado palestino porque os árabes não reconhecem o Estado Israelense, o que na verdade é bem aceitável uma vez que os judeus roubaram territórios dos árabes na guerra.


O que me irrita é a hipocrisia judaica, porque os israelenses não lembram que eles sofreram as mesmas proibições e ataques dos ingleses na época que Israel era apenas uma colônia inglesa ?


Os grupos de resistência israelenses atacavam as tropas inglesas da mesma maneira como os palestinos fazem hoje com menor potência óbvio, e eram retaliados da mesma forma, os ingleses derrubavam diversas casas dos colonos israelenses para tentar coibir os ataques.


A lição foi muito bem aprendida, e até hoje isso é usado contra os palestinos.


O que ninguém conta é que centenas de soldados israelenses estão fazendo terapia depois do último conflito porque testemunharam ou participaram de atrocidades contra os civis palestinos,
centenas de crianças foram mortas e seus corpos apresentavam várias perfurações de bala.


Os assassinatos de líderes árabes em todo o mundo, inclusive no Brasil, a desproporção nos ataques em resposta aos homens-bomba ou aos sequestros, matar 1.000 pessoas no Líbano por conta de um soldado.


E felizmente foram derrotados no Líbano, coisa que a imprensa totalmente parcial não informa, que após os bombardeios a cidade os soldados israelenses tiveram baixas altíssimas devido a resistência libanesa.


Hoje em dia todos os mísseis são teleguiados por computadores avançados e satélites, e mesmo assim Israel diz que bombardear um hospital de crianças da ONU foi um acidente ????


Quem é ingênuo que acredite !!!


Há quem pense que eu sou nazista ou até mesmo anti-semita, não sou, sou contrário a todo o ataque covarde desferido contra inocentes ( mulheres, crianças e civis), tanto palestinos quanto israelenses, e tenho nojo dos meios de comunicação que trabalham a serviço dos israelenses e americanos somente noticiando seus mortos e feridos em ataques ditos terroristas.


Texto: Marcello Lopes

Nenhum comentário: